UOL Notícias Notícias
 

13/04/2009 - 19h03

Bolsa de NY se recupera no final com alta dos bancos

Nova York - O mercado de ações norte-americano reduziu as perdas no final da sessão, impulsionado pelos ganhos dos papéis dos bancos. Contudo, o fantasma de uma concordata da General Motors impediu o índice Dow Jones de fechar em alta. Logo após o encerramento da sessão, o mercado foi surpreendido pela antecipação do balanço do primeiro trimestre do Goldman Sachs, que anunciou um lucro acima do esperado e mais uma oferta pública de US$ 5 bilhões em ações ordinárias, com o qual pretende pagar o empréstimo tomado através do Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp, na sigla em inglês) do Tesouro americano.

O índice Dow Jones caiu 25,57 pontos, ou 0,32%, e fechou em 8.057,81 pontos. O S&P-500 avançou 2,17 pontos, ou 0,25%, e fechou em 858,73 pontos, seu melhor nível desde fevereiro. O Nasdaq subiu 0,77 ponto, ou 0,05%, e fechou em 1.653,31 pontos, enquanto o NYSE Composite avançou 33,84 pontos, ou 0,63%, e fechou em 5.410,28 pontos.

No pregão regular desta segunda-feira, as ações do Goldman Sachs fecharam em alta de 4,68%. O banco anunciou um lucro de US$ 3,39 por ação sobre uma receita de US$ 9,43 bilhões no primeiro trimestre, resultado que superou as expectativas dos analistas. Além da oferta de ações, o banco também disse que estava reduzindo seu dividendo trimestral.

"A corrida para devolver o dinheiro ao governo já começou", disse Lorenzo Di Mattia, gerente do fundo hedge Sibilla Global Fund. Ele acrescentou que o Goldman pode ser o único banco que tem recursos para devolver o empréstimo ao governo no curto prazo.

Entre outros bancos, as ações do Citigroup dispararam 25% e lideraram os ganhos entre as componentes do índice Dow Jones. Um fator técnico teve uma influência nas transações com ações do Citi, segundo os administradores de recursos: um atraso no registro para uma oferta de ações, que vai aumentar de forma acentuada a quantidade do ativo no mercado quando for liberado pela Securities and Exchange Commission (SEC, a CVM norte-americana).

As ações do Bank of America subiram 15,39%, enquanto as do American Express fecharam em alta de 8,66%.

Por outro lado, as ações da GM caíram 16,18% em reação a uma reportagem do jornal The New York Times de que o governo federal instruiu a montadora a iniciar os preparativos para um pedido de concordata em 1º de junho.

Além disso, as ações da gigante Boeing recuaram 5,11%, depois de a companhia ter alertado na noite de quinta-feira que o lucro do primeiro trimestre será afetado pelos ajustes na produção de aviões comerciais. Como os mercados estavam fechados na sexta-feira, hoje foi o primeiro dia para as ações reagiram ao alerta. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h19

    0,36
    3,291
    Outras moedas
  • Bovespa

    15h29

    -0,42
    62.994,61
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host