UOL Notícias Notícias
 

24/06/2009 - 10h18

Bovespa abre em alta com foco na reunião do Fed

São Paulo - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu o pregão em alta e deve prosseguir hoje em sua recuperação e operar em sintonia com as bolsas pelo mundo, com os mercados acionários externos registrando sinais de ganhos no dia em que o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) define os rumos do debate sobre a recuperação econômica e estratégias de transição de sua política para um ambiente mais normalizado. Às 10h10, o índice Bovespa (Ibovespa) subia 1,16%, a 50.392,56 pontos.

Uma questão recorrente nas mesas hoje é o motivo que levou ao descredenciamento de mais um lote de corretoras da colocação dos papéis da VisaNet, cujo prazo de reserva de ações está previsto para terminar hoje. A lista incluiu a Bradesco Corretora, empresa do grupo do coordenador líder da operação, que é o Bradesco BBI, o que surpreendeu bastante os agentes do mercado.

Além da Bradesco Corretora, foram excluídas 22 corretoras da operação. Em todos os casos, o motivo alegado foi a suposta veiculação de material publicitário sem prévia aprovação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Após o fechamento do livro de ofertas (bookbuilding) hoje, será determinado o preço do papel.

Paralelamente ao debate sobre as razões dessas medidas no último dia de reserva da aguardada operação da VisaNet, a Bolsa deve operar no rumo ditado pelo exterior, que espera as decisões do Comitê de Mercado Aberto do Federal Reserve. A divulgação do comunicado do Fomc será às 15h15. A taxa de juros norte-americana não deve sair do nível atual de zero a 0,25%, fazendo com que o interesse recaia sobre qualquer alteração no comunicado sobre a perspectiva para o crescimento da economia dos Estados Unidos e sobre eventuais mudanças no cronograma de compras de títulos do Tesouro e hipotecários.

As matérias-primas (commodities) operam com quedas leves. Ontem, o diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, afirmou que a estatal possui fundos suficientes para atender à maior parte de seus planos de investimento até 2010 e que a recente alta dos preços do petróleo significa que as reservas de caixa poderão cobrir o que faltar. Às 10h10, as ações ordinárias (ON) e preferenciais (PN) da companhia operavam em alta de 0,75% e 0,51%, respectivamente.

Em relação à outra grande blue chip da Bolsa, a Vale tem duas notícias para pesar, já que ainda está envolvida na negociação para fechar preços de contratos de longo prazo para as siderúrgicas chinesas. Às 10h10, os papéis preferenciais de classe A (PNA) da mineradora avançavam 1,06%.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,71
    3,127
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,37
    64.938,02
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host