UOL Notícias Notícias
 

01/07/2009 - 15h01

Na crise, cresce total de investidores no Tesouro Direto

Rio - O interesse pelo programa do Tesouro Nacional de investimento em títulos públicos para pessoa física, o Tesouro Direto, aumentou no período de crise. O número de investidores cadastrados aumentou em cerca de 25 mil no período de crise, quando passou de 133,394 mil em setembro para 158,578 mil em maio. O número de acessos para o Tesouro Direto no portal da BM&FBovespa aumentou da média de dois mil até abril para nove mil em maio e quinze mil em junho. O secretário adjunto do Tesouro Nacional, Paulo Valle, destacou que entre vários motivos para o fenômeno está a tendência de as pessoas buscarem investimentos mais seguros em caso de crise, que seriam os títulos públicos.

O diretor executivo de Desenvolvimento e Fomento de Novos Negócios da BM&FBovespa, Paulo Oliveira, por sua vez, destacou a maior divulgação do programa. "Quando foi mais exposto, teve procura maior", disse Oliveira. A BM&FBovespa vai lançar um simulador do Tesouro Direto em seu portal na internet para popularizar o investimento e como forma de educação financeira. Valle e Oliveira informaram, em evento hoje na Bolsa do Rio sobre o Tesouro Direto, que o lançamento será em agosto.

O diretor de Mercado à Vista da BM&FBovespa, Fábio Urban, explicou que o mercado de ações sempre foi o mais procurado na Bolsa de Valores, mas a Bovespa "passou a incentivar todos os tipos de contrato". De acordo com ele, as corretoras observaram que era melhor diversificar para manter clientes. "Tinha cliente que, quando queria ir para renda fixa, saía da corretora e não voltava mais", disse Urban. Também para atrair clientes, algumas corretoras não cobram remuneração nos negócios do Tesouro Direto. Os executivos também relataram que o custo dos serviço de custódia pelos títulos do Tesouro Direto caiu de 0,4% ao ano para 0,3% ao ano.

Até maio, havia aproximadamente 158,6 mil investidores cadastrados no Tesouro Direto. Valle vê potencial para mais investidores, já que há cerca de 550 mil pessoas que compram e vendem ações pela internet, pelos serviços de home broker oferecidos pelas corretoras. Valle anunciou que 13 instituições financeiras também oferecerão esse tipo de serviço para que seus clientes comprem os títulos públicos oferecidos pelo Tesouro Direto. Ele também citou que pelo menos cinco milhões de clientes do Banco do Brasil usam a internet nos negócios bancários. "O potencial de crescimento é muito grande", disse Valle.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host