UOL Notícias Notícias
 

20/01/2010 - 18h30

Bovespa cai 2,44%, maior baixa desde 12 de novembro

São Paulo - A decisão da China de restringir a oferta de crédito, tomada em seguida a dois aumentos consecutivos de juros nos títulos de um ano do país, se uniram hoje às preocupações com pelo menos três economias europeias - Grécia, Espanha e Portugal - gerando uma fuga dos investidores rumo a ativos de menor risco, como dólar e títulos norte-americanos. Como consequência, a Bolsa brasileira, que tem na China seu atual maior parceiro comercial, sucumbiu à maior queda porcentual desde 12 de novembro do ano passado. Prova da venda maciça de papéis foi o salto no giro financeiro, que hoje subiu 33%, para R$ 7,5 bilhões, ante o volume de R$ 5,6 bilhões de ontem.

O principal índice da Bolsa brasileira, o Ibovespa, recuou hoje 2,44%, aos 68.200,07 pontos, depois de retornar ao patamar de 67 mil pontos na mínima do dia (67.546,34 pontos) e na máxima de 69.901,39 pontos. Em janeiro, o Ibovespa acumula perda de 0,57%. "Como o mercado vem com tendência de alta firme há bastante tempo, qualquer notícia negativa torna o mercado extremamente sensível", salientou Max Bueno, analista da Spinelli Corretora.

A aversão ao risco contaminou os preços de matérias-primas (commodities), como metais e petróleo, afetando diretamente as blue chips da Bovespa (Vale e Petrobras). No caso da Vale, cujo papel PNA acumulava até ontem alta de quase 12% em janeiro, a queda hoje foi de 1,78%, para R$ 46,41, enquanto a ação ordinária (ON) perdeu 2,73%, a R$ 53,45.

A Petrobras acompanhou o movimento, diante da queda forte dos preços dos contratos futuros de petróleo no mercado internacional. A ação ON teve queda de 2,75%, a R$ 39,55, enquanto a preferencial perdeu 2,56% (R$ 35,45). Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), o contrato do petróleo com vencimento em fevereiro teve recuo de 1,77%, a US$ 77,62.

Nos Estados Unidos, o número de novas construções residenciais decepcionou, assim como os balanços trimestrais de Morgan Stanley e Bank of America (BofA), pela manhã. As Bolsas de Nova York chegaram a ter a maior queda desde novembro. Perto das 18h25, o índice Dow Jones tinha queda de 1,21%, enquanto o S&P 500 tinha retração de 1,15% e a bolsa eletrônica Nasdaq caía 1,15%.

Na Europa, o mercado acompanha atento o desenrolar das dificuldades financeiras da Grécia e a fragilidade da economia de Portugal e Espanha. Há quem acredite na possibilidade, inclusive, de que esses países possam sair do regime de moeda única do bloco. As principais bolsas europeias fecharam em queda.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host