UOL Notícias Notícias
 

03/02/2010 - 19h45

Tumulto marca vacinação contra meningite C na Bahia

Salvador - O primeiro dia de vacinação gratuita contra a meningite meningocócica do tipo C, a mais agressiva forma da doença, provocou confusão em postos de saúde de Salvador. Houve tumulto em algumas unidades e a Polícia Militar foi chamada para acalmar as pessoas que formaram filas desde a madrugada.

Na primeira fase, estão sendo disponibilizadas 200 mil doses da vacina para crianças de 2 meses a 4 anos, nos 15 maiores municípios baianos. A partir de março, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), a campanha será estendida às outras 400 cidades. A expectativa do Estado é imunizar 1,3 milhão de crianças até o fim de 2010, 299 mil apenas em Salvador.

A corrida aos postos foi causada pela desinformação - havia quem acreditasse que as doses seriam dadas apenas hoje - e pelo avanço da meningite na Bahia. Em 2009, a forma mais grave da doença causou 49 mortes no Estado, 26 só em Salvador. No ano anterior, o número de óbitos havia sido, respectivamente, 26 e 17. Apenas em janeiro deste ano, foram registradas três mortes pela doença no Estado, uma delas em Salvador.

As filas começaram a se formar nas portas dos postos de saúde ainda na noite de ontem. Como não houve distribuição de senhas na maioria das 231 unidades de Salvador, quando os postos abriram, houve muitos problemas na organização das pessoas. Em pelo menos dois postos, nos bairros periféricos de Engomadeira e Massaranduba, foram registrados inícios de tumulto e a PM teve de intervir.

Ao longo do dia, a situação piorou em algumas unidades, com o término dos estoques de vacina. Sem informações sobre reposição, atendentes de postos passaram a tentar convencer os interessados a retornar outro dia. "Os postos não têm geladeiras capazes de armazenar uma quantidade grande de doses", explica a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Salvador, Ana Rita Vasconcelos. "Por isso, estamos fazendo a reposição de acordo com os pedidos das unidades."

Segundo o titular da Sesab, Jorge Solla, não há motivo para pressa. "A vacinação segue até o fim do ano", avisou.

Em Salvador, a Secretaria Municipal de Saúde pede para que os responsáveis pelas crianças levem a carteira de vacinação aos postos. "Estamos aproveitando a campanha para atualizar as outras vacinas", diz Ana Rita.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host