UOL Notícias Notícias
 

11/02/2010 - 16h30

Carnaval 2010: show na Sapucaí nunca decepciona

São Paulo - O Carnaval do Rio é o tipo de evento que nunca decepciona. Cada vez mais tecnológico, mais recheado de efeitos especiais, mais pensado em termos de grande apresentação, como analisa Hiram Araújo, diretor cultural da Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa). Diante dessa constatação, somada ao sucesso dos anos anteriores, as escolas do Grupo Especial prometem um grande show na Marquês de Sapucaí para os 120 mil expectadores que assistirão, ao vivo, as duas noites de desfiles.

Quem for ao sambódromo na primeira noite, domingo, verá a festa começar, às 21 horas, com a União da Ilha e sua homenagem a Dom Quixote, o famoso personagem de Miguel de Cervantes. O tema foi escolhido pela popularidade do livro. "Não há enredo maior", justifica Márcio André, diretor de carnaval da escola. A Imperatriz Leopoldinense vem em seguida com a ideia de fazer um manifesto pela paz. Para isso, levará à avenida um aspecto evidente na sociedade brasileira: a fé. O samba de enredo "Brasil de todos os Deuses" usa as diversas religiões que compõem o mosaico espiritual do Brasil para passar a mensagem.

A terceira a se apresentar será a Unidos da Tijuca, com o samba-enredo "É segredo", no qual a escola vai abordar os grandes mistérios da humanidade. O carnavalesco Paulo Barros já é conhecido por trabalhar em temas ousados. Em 2008, na Viradouro, falou sobre o arrepio. E por falar na Unidos do Viradouro, a escola será a quarta a desfilar na primeira noite e trará a cultura mexicana à Sapucaí.

A atual campeã do carnaval fluminense será a penúltima da noite. A Acadêmicos do Salgueiro vai dar cabo à estratégia adotada nos últimos três anos, de mostrar enredos mais didáticos. A escola levará para a avenida a história da literatura mundial, desde a invenção da prensa até os best-sellers de hoje. Drácula, Dom Quixote, reis e rainhas, personagens do Sítio do Pica-Pau Amarelo, Pequeno Príncipe, todos estarão na madrugada de segunda sambando pelo Salgueiro.

Para encerrar o primeiro dia de desfiles, a Beija-Flor de Nilópolis homenageará os 50 anos de Brasília, contando a história do povo que construiu a capital do País. Oscar Niemeyer, Juscelino Kubitschek e trabalhadores de diferentes regiões que foram para o Planalto Central serão lembrados.

Segunda noite

A Mocidade Independente de Padre Miguel abre os desfiles na segunda noite, também às 21 horas. A ideia da escola é levar à avenida os paraísos - de Deus, dos africanos, o fiscal, o do consumo e o do carnaval, de acordo com o presidente Paulo Viana, que destaca o tom crítico como um dos pontos altos da apresentação. Ao abordar o paraíso do consumo, a Mocidade vai chamar a atenção, por exemplo, para as compras desenfreadas em shopping centers.

Em seguida vem a Unidos do Porto da Pedra, buscando transformar sonho em realidade. Uberlan Jorge de Oliveira, presidente da escola, sonhou com a vermelho e branco campeã com um desfile sobre a moda. O carnavalesco Paulo Menezes levou a ideia adiante e montou um grupo disposto a fazer a imaginação virar realidade. Se isso vai acontecer, só será possível saber no dia 17, quando os julgadores divulgarão suas notas.

A Portela será a terceira escola da segunda noite. Campeão 21 vezes, a agremiação não sente o sabor da vitória desde 1984. Para voltar à glória, aposta na internet. Com o samba-enredo "Derrubando fronteiras, conquistando a liberdade... Um Rio de paz, um estado de graça", a agremiação vai tratar do uso da internet e da inclusão digital como meio para a inclusão social e à paz. A quarta escola a desfilar, a Acadêmicos do Grande Rio, fará uma homenagem aos 25 anos da Sapucaí, passando por grandes acontecimentos que marcaram o sambódromo desde a sua inauguração, naquele ano, até os dias atuais.

A penúltima agremiação a se apresentar será a Unidos de Vila Isabel, com uma homenagem ao sambista e compositor Noel Rosa, que completaria 100 anos em dezembro. Noel Rosa é um dos grandes ícones da música brasileira, o que também será tema da escola que encerrará a festa no Rio, a Estação Primeira de Mangueira. Jaime Cezário, um dos carnavalescos da verde e rosa, promete um desfile para emocionar a Sapucaí.

Público

Os portões para o público abrem às 17h. O espectador poderá levar até dois vasilhames plásticos de 500 ml com bebida - água, suco, refrigerante ou cerveja - e até dois itens de alimentação - fruta, salgado ou sanduíche. É proibida a entrada de isopores, garrafas de vidro, sacolas, armas e objetos cortantes. Não há limite de idade para acesso de crianças ao sambódromo, desde que acompanhadas pelos pais. Para fotografar o local, é necessário procurar na Sapucaí a gerência da passarela, no Setor 11, a fim de obter autorização.

Os desfiles começam às 21 horas. Cada escola tem um tempo mínimo de 65 minutos e máximo de 82 minutos, sob pena de perda de pontos. Portanto, as apresentações devem se encerrar entre 3h30 e 5h12. A divulgação das notas será na quarta-feira, às 15h. Por fim, o Desfile das Campeãs, com a participação das seis primeiras colocadas, será no dia 20, a partir das 20h.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host