UOL Notícias Notícias
 

12/02/2010 - 17h20

Bolsas europeias recuam com PIB e aperto na China

Londres - Os índices acionários da Europa encerraram em queda, após acumularem ganhos por quatro sessões, refletindo os dados fracos do Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro (grupo dos 16 países que adotam o euro como moeda) no quarto trimestre e as medidas adotadas pela China para frear a aceleração da economia. Em Londres, o índice FT-100 recuou 19,03 pontos (0,37%) e fechou com 5.142,45 pontos; em Paris, o índice CAC-40 perdeu 17,68 pontos (0,49%) e fechou com 3.599,07 pontos; em Frankfurt, o índice Dax-30 perdeu 3,54 pontos (0,06%) e fechou com 5.500,39 pontos.

Os números do PIB da zona do euro foram divulgados um dia depois de os países europeus afirmarem que ajudarão a Grécia, sem revelar, entretanto, detalhes sobre o acordo. Por volta do fechamento dos mercados na Europa, o euro caía para ao redor de US$ 1,3618, de US$ 1,3684 no final da tarde de ontem em Nova York.

Em Atenas, o índice ASE fechou em queda de 2,1%, aos 1.899,42 pontos. As ações dos bancos caíram de novo no pregão grego, com o EFG Eurobank Ergasias recuando 6,6% e o National Bank of Greece perdendo 6,2%. A economia grega apresentou contração de 0,8% no quatro trimestre e o banco central do país reviu para baixo as projeções para o crescimento econômico no primeiro, segundo e terceiro trimestres de 2010.

As instituições financeiras, baseadas em outros países, também tiveram fraco desempenho. Os papéis do Credit Agricole caíram 2,7%, enquanto os do Deutsche Bank recuaram 1,5%. As mineradoras reduziram os recentes ganhos e ficaram no vermelho durante a sessão, após o banco central da China anunciar a segunda elevação da taxa do compulsório este ano, de 0,50 ponto porcentual, que entrará em vigor no dia 25.

As ações da Vedanta Resources e da Antofagasta caíram 2,5% e 1,8%, respectivamente. Os papéis da Boliden despencaram 8,5%, apesar da mineradora sueca informar um lucro de 821 milhões de coroas suecas (US$ 112,9 milhões) no quarto trimestre de 2009, após registrar prejuízo 451 milhões de coroas suecas no mesmo período do ano interior. A companhia destacou, no entanto, que os baixos níveis de concentração de metais resultaram numa queda de 30% na produção de cobre e de 5% na de zinco na comparação trimestral.

Ainda assim, o resultado ajudou o setor das fabricantes de commodities. Os papéis da siderúrgica alemã ThyssenKrupp avançaram 2,8%. A empresa informou um lucro líquido de 164 milhões de euros (US$ 222,4 milhões) no primeiro trimestre fiscal (quarto trimestre calendário), queda de 2,38% em comparação com os 168 milhões de euros de igual período do ano anterior. Os analistas esperavam um lucro de 64 milhões de euros.

As recentes oscilações do mercado impactaram também empresas que não compõem os índices. A varejista britânica New Look afirmou que vai cancelar uma oferta inicial pública de ações (IPO, na sigla em inglês) na bolsa de Londres, se tornando a 10ª empresa em duas semanas a cancelar a oferta de ações por causa das flutuações do mercado. A empresa planejava captar 650 milhões de libras (US$ 1,02 bilhões)com a operação. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,22
    3,142
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,67
    70.477,63
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host