UOL Notícias Notícias
 

17/02/2010 - 19h47

Petróleo fecha em alta a US$ 77,33 por barril

Nova York - Os contratos futuros de petróleo subiram modestamente, alcançando a máxima em 3 semanas, depois que a divulgação de dados econômicos nos Estados Unidos mostraram um forte desempenho do setor de construção de casas e da produção industrial no país. Mas os ganhos foram limitados pela expectativa em torno da divulgação do relatório semanal do American Petroleum Institute (API) com os níveis dos estoques comerciais de petróleo e derivados dos EUA, prevista para após o fechamento do mercado. Os analistas esperam que o relatório aponte uma recuperação lenta da demanda por petróleo.

O contrato futuro do petróleo tipo WTI com vencimento em março, negociado na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex, na sigla em inglês), fechou em alta de 0,42%, aos US$ 77,33 por barril. O preço mínimo durante o dia foi de US$ 76,53 e o máximo, de US$ 77,82 o barril, incluindo o pregão eletrônico. Em Londres, o contrato futuro do petróleo tipo Brent com vencimento em abril avançou 1,44%, para US$ 76,27 por barril. A mínima foi de US$ 75,40 e a máxima de US$ 76,47.

O mercado de petróleo recebeu um estímulo no início da sessão, após o Departamento do Comércio dos EUA informar que o número de novas construções residenciais no país subiu 2,8% em janeiro sobre o mês anterior, para a taxa anual ajustada sazonalmente de 591 mil, a mais alta desde julho de 2009. O Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) também informou que a produção industrial cresceu 0,9% em janeiro, acima da média da estimativas dos analistas de uma alta de 0,8%.

O dados se somaram à onde de otimismo com a economia mundial que levou os preços do petróleo a subirem cerca de 4% ontem. Os investidores foram encorajados nesse dia pela aparente disposição da União Europeia em ajudar a Grécia a reduzir seu déficit orçamentário, o que diminui as chances de uma desaceleração econômica conduzida por déficits no continente.

No entanto, como a dívida soberana continua a ser um risco para a Europa e a economia dos EUA se mantém em bases pouco firmes, o petróleo não está completamente pronto para desafiar elevações recentes acima de US$ 80 o barril, disse Matt Zeman, presidente de negociações da LaSalle Futures Group em Chicago. "As pessoas estão pulando para dentro, mas não estão pulando com os dois pés", acrescentou Zeman. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host