UOL Notícias Notícias
 

01/03/2010 - 16h28

Ações europeias sobem com mineradoras e fusões

Londres - As bolsas europeias avançaram após uma série de acordos de fusões e com o otimismo sobre a economia, embora as ações da Prudential e a libra tenham caído depois que a seguradora britânica anunciou uma emissão de direitos de grande escala para financiar a compra das operações asiáticas do American International Group (AIG). O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 1,1% para 248,60 pontos, com as mineradoras liderando a alta.

As ações da mineradora de cobre chilena Antofagasta subiram 3,68% e os papéis da mineradora de cobre e carvão anglo-suíça Xstrata avançaram 3,64%, à medida que os mercados futuros do cobre davam um salto. O terremoto do sábado no Chile levou a questionamentos sobre a oferta do metal, uma vez que o Chile é o maior produtor de cobre no mundo.

A petrolífera britânica BP ganhou 2,99%, após suas ações terem sido elevadas de neutras para compra pelo Merryl Lynch, braço do Bank of America.

No nível regional, o índice DAX da Bolsa de Frankfurt avançou 2,06% para 5.713,51 pontos, enquanto o índice CAC-40 da Bolsa de Paris teve alta de 1,64% para 3.769,54 pontos. O índice FTSE da Bolsa de Londres ganhou 0,96% para 5.405,94 pontos. O índice Ibex-35 da Bolsa de Madri avançou 0,98% para 10.434,90 pontos.

As ações norte-americanas estavam também fortalecidas em meio a atividades de fusões e aquisições e dados positivos sobre a renda pessoal nos EUA em janeiro. "Nós estamos vendo o risco voltar um pouco ao mercado. As taxas de juros permanecem baixas e isso é positivo para as ações", disse Stephen Taylor, estrategista da corretora Dolmen Stockbrokers.

Alguns desses acordos envolveram empresas europeias. As ações do laboratório alemão Merck KGaA subiram 2,94% após a empresa informar que comprará a empresa de biotecnologia Millipore, dos EUA, por US$ 7,2 bilhões.

As ações da britânica Prudential caíram 12,03% após a seguradora, num acordo para virar líder no Sudeste da Ásia, ter concordado em pagar US$ 25 bilhões em dinheiro e US$ 10,5 bilhões em ações pelas operações asiáticas da AIG. Através de uma emissão de direitos, a Prudential pretende levantar US$ 20 bilhões.

O valor da libra caiu forte após o acordo ter sido anunciado, em meio a preocupações de que a Prudential irá vender ativos para comprar dólares e completar a transação.

A libra também foi atingida por matérias publicadas no final de semana, as quais afirmam que os partidos Trabalhista e Conservador estão em disputa apertada nas pesquisas, o que atraiu a atenção para o risco de um impasse parlamentar e o impacto que isso poderá ter sobre os esforços para reduzir a dívida. O índice grego ASE Composite subiu 2,9% para 1.969,47 pontos.

Enquanto isso, investidores venderam ações do HSBC Holdings em reação a resultados financeiros. As ações da instituição caíram 5,23%. O gigante bancário informou que seu lucro anual subiu 2% para US$ 5,83 bilhões, pela queda no pagamento de impostos. Analistas esperavam que o HSBC reportasse um lucro líquido de US$ 6,4 milhões para 2009, de acordo com uma pesquisa da Dow Jones Newswires. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,45
    3,141
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,39
    64.684,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host