UOL Notícias Notícias
 

01/03/2010 - 11h20

Bovespa abre em alta, puxada por commodities

São Paulo - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu o dia em alta, influenciada pelo desempenho favorável no mercado internacional de ações. A alta das commodities (matérias-primas), liderada pelo cobre, também contribui para impulsionar o mercado acionário, na medida em que dá sustentação aos preços das mineradoras. Mas como ocorreu em fevereiro, a volatilidade deve continuar dando o tom dos negócios, pelo menos nesta semana. Às 11h11 (de Brasília), o índice Bovespa (Ibovespa) subia 0,66%, para 66.945 pontos.

Os dados sobre a indústria e os gastos de construção nos Estados Unidos, que saem ainda hoje, além da evolução do noticiário sobre o socorro de até 30 bilhões de euros da União Europeia à Grécia, serão determinantes para o rumo da Bovespa no restante do dia. A queda da atividade industrial na China, de 55,8 em janeiro para 52 em fevereiro, foi absorvida sem nervosismo pelos mercados. Analistas ponderam que a queda pode ser pontual, influenciada pelo feriado do ano novo lunar que manteve as fábricas fechadas em meados do mês.

No Brasil, não está prevista nenhuma notícia que possa mexer com os preços. Todos os balanços programados para hoje serão divulgados após o fechamento da Bolsa: CPFL Energia, frigorífico Minerva, Banco Pine, Even, Iochpe-Maxion e M.Dias Branco. A lista de resultados do quarto trimestre previstos para março é extensa, somando 22 empresas, incluindo nomes como Braskem, Pão de Açúcar e AmBev.

Esta é uma semana particularmente importante para Petrobras, devido a votação prevista para amanhã, no plenário da Câmara, do projeto que autoriza a capitalização da estatal, uma das quatro propostas que integram o marco regulatório do pré-sal. Uma emenda apresentada ao projeto permite que os trabalhadores usem o dinheiro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) na compra de ações da empresa, contrariando interesses do governo. A proposta, de apelo popular, pode unir deputados da base e da oposição.

A expectativa dos analistas é de muita volatilidade para as ações de Petrobras, que vêm sendo penalizadas pelas incertezas sobre o processo que envolve a capitalização. Ainda em relação à companhia, ontem um incêndio de pequenas proporções na subestação de energia da Refinaria Duque de Caxias (Reduc) suspendeu a produção da unidade. Não houve feridos nem danos ambientais. Segundo a estatal, as causas do incêndio estão sendo apuradas e a operação da refinaria foi interrompida apenas por medida de segurança. A expectativa é de que haja a retomada da produção ainda hoje.

No exterior, as preocupações em relação ao fornecimento de cobre diminuíram, em reação a informações de que a produção nas minas de cobre no Chile não foi afetada, após um terremoto de 8,8 graus ter sacudido o país no sábado. Os problemas estariam mais relacionados à deficiência de energia e a danos na infraestrutura, segundo analistas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h39

    -0,23
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h47

    -0,20
    75.839,80
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host