UOL Notícias Notícias
 

09/03/2010 - 19h58

Dow Jones completa 1 ano do atual ciclo de recuperação

Nova York - No aniversário de um ano do ponto mais baixo da atual ciclo, os principais índices do mercado de ações norte-americano encerraram uma sessão volátil com uma alta modesta, com destaque para os ganhos do setor de tecnologia e telecomunicações.

No dia 9 de março de 2009, o Dow Jones fechou no menor nível em 12 anos, aos 6.547,05 pontos. Desde então, o Dow Jones acumulou um ganho de mais de 61% até fechar nesta terça-feira com 10.564,38 pontos, com uma alta de 11,86 pontos (0,11%). Neste um ano de mercado em alta, o índice S&P-500 acumula uma valorização de 69%, enquanto o Nasdaq registra uma alta de 85%.

Nesta terça-feira, o Nasdaq subiu 8,47 pontos (0,36%) e fechou com 2.340,68 pontos, enquanto o S&P-500 avançou 1,94 ponto (0,17%) e fechou com 1.140,44 pontos.

Os ganhos deste ciclo de alta foram alimentados pelas apostas de uma recuperação econômica e impacto positivo dos trilhões de dólares em estímulos injetados pelo governo. Contudo, este ano o ritmo de recuperação da economia americana desacelerou e os investidores agora aguardam evidências de continuidade deste crescimento, em meio a persistente fraqueza do mercado de mão de obra e de moradia.

No setor de telecomunicações, as ações da AT&T subiram 1,11% e as da Verizon Communications avançaram 0,94%, depois que a Cisco Systems apresentou um roteador mais rápido e inteligente com o qual promete "mudar para sempre a internet". A AT&T, uma das principais clientes da Cisco, disse que completou um teste com o novo roteador, batizado de CRS-3, que permitirá ao seu backbone de internet de longa distância a transmitir dados a uma velocidade de 100 GB por segundo, quase 10 mil vezes mais rápido do que a média de um cabo doméstico ou conexão DSL. As ações da Cisco fecharam estáveis.

No setor industrial, as ações da Boeing fecharam em alta de 0,82%, depois da Northrop Grumman ter informando que irá desistir de um contrato de US$ 40 bilhões para construir a próxima geração de aviões de abastecimento de combustível no ar da Força Aérea dos EUA. Com essa decisão, a Boeing se torna a única companhia a disputar o contrato. As ações da Northrop - que não fazem parte do Dow - fecharam em baixa de 0,25%.

O setor financeiro também teve uma sessão movimentada, em especial as ex-blue chips American Internacional Group (AIG) e Citigroup, que foram alvo de uma série de rumores ao longo do dia. A onda de otimismo aparentemente começou com as ações do Citi, que abriram em alta e seguiram firmes até fecharem com um ganho de 7,30%.

O vigor das ações do Citi se espalhou e contaminou as ações da AIG, que chegaram a subir mais de 17% antes de fecharem com uma alta de 12,61%. As agências hipotecárias Fannie Mae e Freddie Mac também embarcaram no movimento de alta e subiram 5,94% e 7,56%, respectivamente. Um porta-voz do Citi declinou em comentar os movimentos das ações ou de qualquer informe da mídia, enquanto o Tesouro americano disse que não tinha nenhuma atualização ou comentário a fazer. Também a AIG declinou em comentar a forte alta de suas ações.

Na segunda-feira, a AIG fechou a venda de sua unidade American Life Insurance (Alico) para a MetLife por US$ 15,5 bilhões e, na semana passada, a venda de sua unidade de seguro de vida na Ásia - a American International Assurance - para a Prudential por US$ 35,5 bilhões. A AIG espera agora devolver US$ 32 bilhões em dinheiro para o Federal Reserve Bank of New York nos próximos meses, caso as duas transações sejam fechadas até o final do ano. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,67
    3,136
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,31
    75.990,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host