UOL Notícias Notícias
 

11/03/2010 - 07h53

Bolsas asiáticas fecham sem sinal definido

Tóquio - Os mercados da Ásia não apresentaram tendência definida nesta quinta-feira. Parte deles fechou estável, enquanto outros reagiram negativamente à divulgação dos resultados da inflação de fevereiro na China. Em algumas bolsas, também tiveram influência os fatores internos e a ligeira alta em Wall Street.

A Bolsa de Hong Kong apresentou estabilidade. O índice Hang Seng ganhou 19,91 pontos, ou 0,09%, e terminou aos 21.228,20 pontos.

Nas Bolsas da China, também predominou a estabilidade. O aumento da taxa de inflação renovou as preocupações sobre novas medidas de aperto monetário, cortando os ganhos derivados da demanda por blue chips. O índice Xangai Composto ganhou 0,1% e encerrou aos 3.051,28 pontos. Já o índice Shenzhen Composto caiu 0,1% e terminou aos 1.163,46 pontos.

O yuan apresentou ligeira desvalorização em relação ao dólar, por conta das expectativas de que o câmbio irá permanecer estável no curto prazo, apesar de a inflação na China ter sido maior do que o esperado. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,8266 yuans, de 6,8259 yuans do fechamento de quarta-feira.

Já a Bolsa de Taipé, em Taiwan, apresentou queda, influenciada pelos números da inflação chinesa. O índice Taiwan Weighted baixou 0,4% e encerrou aos 7.749,66 pontos.

Na Coreia do Sul, a divulgação do índice de inflação da China também reavivou o temor de novas medidas de aperto monetário por parte de Pequim. O índice Kospi baixou 0,3% e fechou aos 1.656,62 pontos.

Na Austrália, a inflação da China se somou à divulgação de dados domésticos sobre o nível de emprego, mais fracos do que o esperado. Com isso, o índice S&P/ASX 200 da Bolsa de Sydney recuou da máxima de sete semanas e acabou fechando em queda de 0,12%, aos 4.814,2 pontos.

Nas Filipinas, o índice PSE da Bolsa de Manila avançou 0,2% e fechou aos 3.125,56 pontos.

A Bolsa de Cingapura teve alta modesta uma vez que os investidores permanecem otimistas com o fechamento positivo de Wall Street, mas os negócios oscilaram entre os terrenos positivo e negativo por precaução diante de mais medidas de aperto na China depois de divulgação de inflação maior que a esperada. O índice Straits Times subiu 0,4% e fechou aos 2.873,91 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, subiu 0,2% e fechou aos 2.676,52 pontos, com ações de bancos, companhias de recursos naturais liderando a preferência de fundos estrangeiros. Mercado esteve um pouco cauteloso uma vez que os investidores esperam resposta do governo à recomendação do Parlamento para investigação criminal do ministro das Finanças, Sri Mulyani Indrawati, e do vice-presidente Boediono por seu envolvimento no plano de salvamento do Banco Century em 2008.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, ganhou 0,7% e fechou aos 725,95 pontos, pois investidores apostam que protestos de apoiadores de ex-primeiro-ministro serão pacíficos.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, recuou 0,5% e fechou aos 1.341,43 pontos, com preocupações sobre a possibilidade de a China vir a adotar novas medidas de aperto financeiro. As informações são da Dow Jones

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,71
    3,168
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,12
    68.634,65
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host