UOL Notícias Notícias
 

15/03/2010 - 15h46

Europa fecha em baixa com expectativas sobre Fed

Londres - As bolsas europeias fecharam em baixa nesta segunda-feira, em meio à persistente preocupação com o aperto monetário na China e à postura cautelosa dos investidores antes da reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central americano) amanhã. De modo geral, o volume foi baixo por causa disso e, depois do aumento surpreendente da taxa de redesconto no mês passado, nos EUA, mais atenção deverá ser dada ao tom do comunicado do Fed amanhã, que pode trazer pistas sobre os planos da autoridade monetária de elevar a taxa básica de juros.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,7%, aos 256,65 pontos. O índice FT-100, da Bolsa de Londres, perdeu 0,57%, para 5.593,85 pontos. Na França, o índice CAC-40 da Bolsa de Paris recuou 0,93%, para 3.890,91 pontos, e em Frankfurt o índice Dax perdeu 0,70%, fechando em 5.903,56 pontos. Em Madri, o Ibex-35 terminou em baixa de 1,08%, aos 10.957,80 pontos.

Contribuiu para o ambiente desfavorável aos negócios o relatório da Moody's Investors Service sugerindo que os riscos aos ratings de crédito das quatro maiores economias com nota AAA - EUA, Reino Unido, Alemanha e França - cresceram. A agência disse que esses quatro países enfrentam um equilíbrio delicado de política econômica neste momento, em que consideram reduzir gastos para diminuir a dívida.

O setor de recursos naturais esteve entre os mais prejudicados hoje pelas expectativas de aperto monetária na China, que poderia reduzir a demanda por commodities. Acredita-se que o banco central chinês eleve o compulsório bancário ainda esta semana. Eurasian Natural Resources caiu 3,4% enquanto ArcelorMittal perdeu 2,2%. Xstrata perdeu 3% e Kazakhmys cedeu 2,9%.

As ações do banco francês Société Générale caíram 2,5%, destacando-se entre as perdas do setor bancário. O britânico Barclays recuou 0,9%. Enquanto isso, no setor de tecnologia, as fabricantes de chips recuaram depois de sofrerem rebaixamentos do UBS. Foi o caso, por exemplo, de CSR e Arm Holdings, que cederam 3,9% e 2,1%, respectivamente, após terem sido rebaixadas de comprar para neutro. Do lado dos ganhos, BT subiu 1,1%, depois de o Citi ter elevado a companhia de manter para comprar com a esperança de que a BT possa se beneficiar de serviços de banda larga. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host