UOL Notícias Notícias
 

18/03/2010 - 19h18

Polícia pede quebra de sigilo telefônico de Cadu

São Paulo - A polícia pediu à Justiça a quebra do sigilo telefônico de Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, o Cadu, assassino confesso de matar o cartunista Glauco Vilas Boas e seu filho Raoni, em Osasco, na Grande São Paulo. O pedido também inclui a quebra do sigilo do estudante Felipe Iasi, que dirigiu o carro que os levou ao local do crime.

As informações são do delegado Marcos Carneiro Lima, diretor do Departamento de Polícia Judiciária da Macro São Paulo (Demacro). Segundo Lima, a Justiça vai analisar o pedido e o mandar para as operadoras dos celulares. Em seguida, os dados serão enviados a polícia. Com a quebra do sigilo seria possível identificar para quais pessoas os dois ligaram e de quem eles receberam chamadas.

Glauco e seu filho foram baleados com quatro tiros cada um. Depois do crime, Carlos Eduardo tentou fugir do Brasil. Ele foi detido no Paraná na noite de domingo, quando tentava entrar no Paraguai com um carro roubado. Ao ser abordado por policiais rodoviários federais, o estudante iniciou um tiroteio e um policial ficou ferido no braço. O policial passa bem. Carlos Eduardo está preso na delegacia da Polícia Federal (PF) de Foz de Iguaçu.

Felipe de Oliveira afirmou que foi sequestrado por Carlos e obrigado a o levar à casa do cartunista. Carlos Eduardo é conhecido da família e frequentava a igreja Céu de Maria, adepta aos princípios do Santo Daime, fundada por Glauco.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,29
    3,167
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h17

    -0,17
    74.318,72
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host