UOL Notícias Notícias
 

24/03/2010 - 18h20

Bolsas de NY fecham em baixa com receio sobre Europa

Nova York - Os principais índices de ações dos EUA fecharam em queda, refletindo o movimento de aversão ao risco observado no mercado após a agência de classificação de risco Fitch reduzir o rating de Portugal citando o desempenho significativamente ruim do orçamento do país em 2009. "Permanece o receio com a capacidade da Europa para lidar com os desdobramentos dos problemas de dívidas soberanas", disse Quincy Krosby, estrategista de mercado da Prudential Financial.

Para a estrategista de câmbio Meg Browne, da Brown Brothers Harriman, os problemas da Europa não se resumem à Grécia. "A questão é que há uma região, a zona do euro, em que falta unidade política e que aparentemente não terá uma resolução para lidar com os problemas fiscais."

Também pesaram sobre as ações dados do Departamento de Comércio dos EUA que mostraram um declínio de 2,2% nas vendas de imóveis residenciais novos no país em fevereiro, para a taxa anualizada e sazonalmente ajustada de 308 mil - o menor nível já registrado desde o início da série história, em 1963. Economistas esperavam um aumento de 1,9% nas vendas.

O Departamento de Comércio também divulgou que as encomendas de bens duráveis subiram 0,5% em fevereiro, para o montante ajustado sazonalmente de US$ 178,12 bilhões, levemente abaixo a previsão de alta de 0,7% dos economistas ouvidos pela Dow Jones.

O Dow Jones caiu 52,68 pontos, ou 0,48%, para 10.836,15 pontos, e passou a acumular ganho de 4,95% do início do mês até agora. As ações da Verizon Communications e da AT&T - ambas do setor de telecomunicações - estavam entre os componentes do índice que mais recuaram na sessão, perdendo respectivamente 1,68% e 1,09% após a concorrente Sprint Nextel (+2,87%) anunciar o primeiro telefone nos EUA com capacidade para receber dados em altíssima velocidade.

As ações da Chevron caíram 1,12%, enquanto as da ExxonMobil fecharam em baixa de 0,67%, pressionadas pelo declínio nos preços do petróleo. O Bank of America teve o melhor desempenho entre os componentes do Dow Jones, registrando alta de 2,58% em seus papeis após o executivo-chefe da instituição, Brian Moynihan, afirmar em Pequim que o banco pretende expandir as operações na China e na Ásia e dizer que o banco pretende perdoar algumas dívidas hipotecárias do segmento subprime. Também subiram General Electric (+0,65%) e Boeing (+0,19%)

Entre os demais índices, o Nasdaq perdeu 16,48 pontos, ou 0,68%, para 2.398,76 pontos. O S&P 500 recuou 6,45 pontos, ou 0,55%, para 1.167,72 pontos. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host