UOL Notícias Notícias
 

24/03/2010 - 20h47

Promotor vê 'desespero' da defesa para absolver Nardonis

São Paulo - Ao deixar o Fórum de Santana após o terceiro dia de julgamento, o promotor do caso Isabella Nardoni, Francisco Cembranelli, disse esta noite que a defesa dos réus está cometendo "atos de desespero" para tentar salvar o casal Nardoni. De acordo com Cembranelli, um exemplo disso é o fato da defesa ter pedido a permanência da mãe de Isabella, Ana Carolina Oliveira, no Fórum.

Para Cembranelli, os advogados estão se saindo mal no júri. "Para quem ameaçou antes do julgamento desqualificar um trabalho sério, o desempenho da defesa foi pífio", criticou. O promotor disse ainda que Ana Oliveira está abalada e, segundo lhe disse um médico do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), deprimida.

O promotor avaliou como favorável para a acusação o depoimento de seis horas da perita do Instituto de Criminalística (IC) Rosângela Monteiro. "O depoimento foi categórico e Rosângela foi magistral", afirmou.

Cembranelli disse não esperar novidades do interrogatório de Alexandre Nardoni e de Ana Carolina Jatobá, que deve acontecer amanhã. Para Cembranelli, o casal deve repetir o que já disse à Justiça em depoimento. O promotor afirmou não temer uma eventual acareação entre os réus e a mãe de Isabella.

Defesa

Ao deixar o Fórum de Santana, o advogado de defesa do casal Nardoni, Roberto Podval, justificou a dispensa hoje de nove testemunhas. "A demora (do julgamento) é ruim para a defesa", afirmou. Para o advogado, ainda não há provas no caso que incriminam os réus e existe inconsistência na dinâmica do crime apresentada pela perícia.

O advogado diz não ter ficado satisfeito com a explicação da perita Rosângela Monteiro sobre as marcas de poeira na camiseta de Alexandre, que teriam sido causadas, segundo a promotoria, pela pressão exercida por seu corpo contra a janela ao jogar Isabella. "Não fiquei confortado com a explicação da perita. Ele (Alexandre) pode ter muito bem apenas olhado pela janela", afirmou.

Podval disse ainda que só decidirá se insistirá no pedido de acareação entre os réus e Ana Oliveira após o interrogatório de Alexandre e Anna Carolina Jatobá. "Tenho interesse em fazer a acareação, mas depende do conteúdo dos interrogatórios", disse o advogado. "Tenho receio de ser cerceado durante a acareação, com o juiz indeferindo alguns pedidos da defesa", afirmou.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host