UOL Notícias Notícias
 

06/04/2010 - 16h33

Família é indiciada por morte de turista alemã em PE

Recife - Os cinco acusados da morte da turista alemã Jennifer Marion Nadja Kloker foram indiciados por homicídio triplamente qualificado - motivo torpe, motivo fútil e pela vítima não ter tido chance de defesa. Jennifer, de 22 anos, foi morta a tiros no dia 16 de fevereiro, no município de São Lourenço da Mata, região metropolitana de Recife. A promotora Ana Claudia Walmsley formalizou denúncia ao juiz Djaci Salustiano de Lima, que a acatou. Os acusados poderão ser condenados a penas que variam entre 12 e 30 anos de prisão.

O juiz também decretou a prisão preventiva dos quatro acusados: o viúvo de Jennifer, Pablo Tonelli, o pai adotivo de Pablo, Ferdinando Tonelli, a sogra, Delma Freire de Medeiros - apontada como mentora do crime - e Alexsandro Nunes dos Santos, contratado para matar.

O quinto acusado, irmão de Delma, Dinarte de Medeiros, que, de acordo com o inquérito, comprou a arma do crime por R$ 300 e intermediou o negócio entre Delma e Alexsandro - que recebeu R$ 2,5 mil pelo crime - vai responder ao processo em liberdade. A polícia não considerou necessário pedir sua prisão diante da sua colaboração com as investigações.

Única a não confessar o crime, Delma se denunciou, de acordo com o delegado responsável pelo caso, Alfredo Jorge, ao escrever um bilhete para o filho - quando ela ainda estava detida - em que o orienta, entre outras coisas, a declarar sua inocência, a não falar sem a presença de um advogado e dizer que não tinha contato com o tio Dinarte de Medeiros. Ela pedia que Pablo rasgasse o bilhete depois de ler. Ele o entregou à polícia.

O delegado explicou porque enquadrou os acusados por homicídio triplamente qualificado: "Motivo torpe porque o crime foi motivado por uma recompensa, um seguro de vida feito em nome de Jennifer que beneficiaria Ferdinando Tonelli", observou. "Motivo fútil diante das brigas familiares e da disputa pela guarda da criança de três anos, filho de Jennifer e Pablo". Por fim, Jennifer não teve nenhuma alternativa de defesa.

Alemã naturalizada italiana, Jennifer estava no carro alugado pela família na noite do dia 16 de fevereiro, junto com Pablo, Ferdinando, Delma e seu filho. Delma e os Tonelli disseram à polícia terem sido vítimas de latrocínio (assalto seguido de morte). O corpo da alemã foi encontrado no dia seguinte, no km 97 da BR-408, em São Lourenço da Mata, atingido por três balas calibre 38. Com o desenrolar das investigações, a polícia descobriu que a morte foi tramada pela família.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,84
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,35
    68.594,30
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host