UOL Notícias Notícias
 

12/04/2010 - 20h56

Bolsa-Família será antecipado em três municípios do RJ

Rio - O total de vítimas da chuva no Estado do Rio de Janeiro chegou a 231 hoje, de acordo informações apresentadas pela Defesa Civil do Estado. Niterói concentra o maior número de mortes, 146, das quais 36 ocorreram no Morro do Bumba. A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Márcia Lopes, esteve hoje no morro e anunciou que disponibilizará 650 toneladas de alimentos para os municípios atingidos pelas chuvas.

Ela informou ainda que 213 mil famílias do Rio, de Niterói e de São Gonçalo receberão antecipadamente o Bolsa-Família este mês. "Fiquei estarrecida pela possibilidade de que pessoas ainda estejam soterradas. Em nome do presidente Lula, nós vamos unificar todos os esforços para o socorro às vítimas", declarou.

Hoje também, apesar de a Fundação Geo-Rio informar que o mapa de riscos mais atual não está pronto, o prefeito Eduardo Paes (PMDB) divulgou uma relação de 3.963 famílias de nove comunidades que vivem em áreas de risco "imediato" e serão removidas: 1.000 no Morro dos Prazeres, 500 no Fogueteiro, 500 no Laboriaux, 500 no Parque Columbia, 500 no Turano (comunidades Cantinho do Céu e Pantanal), 350 no São João Batista, 250 no Urubu e 93 no Querosene.

"Onde der para fazer obra de contenção, será feito. Onde não for possível, a partir de análise técnica, o caminho é o reassentamento. Mas com dignidade: aluguel de emergência (R$ 400), acompanhamento das famílias e uma alternativa definitiva e segura, para os locais mais próximos possíveis."

O prefeito afirmou que "o importante é que a lógica de reassentamento seja distinta daquela que já se fez no Rio". Ele visitou o local que deverá abrigar as famílias dos morros dos Prazeres e do Fogueteiro. Lá, restam destroços do Complexo Penitenciário da Frei Caneca, implodido em março, ao custo de R$ 12 milhões. Será publicado no Diário Oficial do Estado de hoje edital para a escolha da construtora, e a seleção deve ocorrer até o fim do mês, disse o governador Sérgio Cabral.

"Esperamos começar as obras em 90 dias. A prefeitura vai comandar a escolha de quem vem morar. Até o fim do ano teremos um lugar de gente morando sem risco. Chega de demagogia, chega de ocupar encostas", declarou Cabral.

Paes afirmou que as famílias desabrigadas não vão pagar nada pelos novos apartamentos. "O aluguel de emergência vai valer até que essas pessoas entrem no apartamento definitivo. Portanto, o morador dos Prazeres só vai deixar de receber (os R$ 400) no dia em que receber a chave de sua casa legalizada. Aqui vai ser um 'Minha Casa, Minha Vida' em que a prefeitura vai fazer com que as pessoas venham para cá de graça", disse o prefeito.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host