UOL Notícias Notícias
 

12/04/2010 - 14h21

Bolsas europeias fecham em leve alta com Grécia

Londres - Os principais mercados de ações europeus fecharam perto da estabilidade depois da divulgação de mais detalhes de um possível pacote de ajuda à Grécia ter fortalecido os papéis dos bancos. Segundo analistas da Ticonderoga Securities, o auxílio europeu aos gregos é "um progresso, não a perfeição, e os mercados mostraram um certo comedimento para tirar conclusões. Isso nos pareceu uma reação saudável". Em Londres, o índice FTSE-100 avançou 0,12%, fechando em 5.777,65 pontos. O índice Xetra-Dax, da Bolsa de Valores de Frankfurt, ganhou 0,02%, encerrando o pregão em 6.250,69 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 encerrou a sessão estável em 4.050,50 pontos.

Já o índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 0,1%, encerrando o pregão em 269,49 pontos com a baixa nas ações de empresas de mídia e de mineração. As ações europeias haviam se valorizado na sexta-feira em antecipação a um plano de resgate para a Grécia, levando o Stoxx 600 a acumular ganhos semanais pela sexta vez consecutiva. A equipe de estratégia do Morgan Stanley na Europa manifestou a expectativa de uma correção no mercado neste segundo trimestre, quando boas notícias econômicas poderão se transformar em más notícias para os mercados.

"Em algum ponto, como em 1994 e em 2004, boas notícias econômicas se transformarão em más notícias para os mercados, uma vez que isso conduzirá a uma reação de política (como uma mudança linguagem do Fed ou medidas de aperto monetário) ou a uma reação dos mercados (expectativas de inflação e taxas de retorno de bônus mais elevados)", acreditam os estrategistas. "No nosso julgamento, estamos chegando mais perto desse momento. Acreditamos que começará no segundo trimestre, mas pode não ser assim tão iminente", concluem.

A editora Wolters Kluwer caiu 1,4% na Euronext Amsterdã depois de um rebaixamento do Morgan Stanley. As ações da mineradora Xstrata perderam 1,3% na Bolsa de Valores de Londres. Hoje, os mercados tiveram a primeira chance de reagir à notícia de que os países da zona do euro (grupo dos 16 países que adotam o euro como moeda) estavam dispostos a emprestar 30 bilhões à Grécia de euros, detalhando inclusive a taxa de juro que cobrariam.

A Grécia ainda não recorreu ao pacote de ajuda em meio à esperança de que conseguirá levantar recursos no mercado de bônus. O governo grego pretende vender 1,2 bilhões de euros em títulos com vencimento entre seis meses e um ano na terça-feira. "O anúncio do mecanismo de auxílio financeiro é um desdobramento positivo, pois desfaz as incertezas sobre seu formato e também porque as taxas sugeridas são significativamente mais baixas do que as praticadas atualmente pelo mercado", disseram analistas do Banco Proton em Atenas.

O preço dos contatos de proteção contra um eventual calote da dívida grega caiu acentuadamente e o euro valorizou-se, assim como as ações das instituições financeiras da Grécia, com os papéis do Banco Piraeus fechando em alta de 9,3% e os do EFG Ergasias avançando 11,3%, levando o índice composto ASE, da bolsa de valores de Atenas, a fechar em alta de 3,5%, em 2.061,04 pontos.

Em Varsóvia, o índice WIG-20 avançou 1%, encerrando a sessão em 2.578,66 pontos. O zloty, moeda da Polônia, também valorizou-se no primeiro pregão depois de o presidente do país e diversos altos funcionários do governo, entre eles o presidente do Banco Central, terem morrido em um acidente aéreo ocorrido na Rússia durante o fim de semana. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h59

    0,40
    3,159
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h04

    -0,45
    68.285,16
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host