UOL Notícias Notícias
 

12/04/2010 - 19h19

Dow Jones sobe 0,08% e fecha acima de 11 mil pontos

Nova York - Os principais índices do mercado de ações dos EUA fecharam em leve alta, com o Dow Jones encerrando a sessão acima dos 11 mil pontos pela primeira vez desde setembro de 2008. Segundo analistas, o avanço tímido foi resultado do otimismo cauteloso dos investidores com a temporada de balanços norte-americana, que teve seu início simbólico após o fechamento do mercado com a divulgação dos resultados trimestrais da Alcoa.

"De empresa em empresa, as coisas aparentemente estão boas e melhorando, mas no nível macroeconômico ainda há muitas preocupações", disse John Apruzzese, sócio e gerente de carteiras de investimento da Evercore Wealth Management. "Ainda há receios com as dívidas do governo, o desemprego, e com as questões do euro e da Grécia, mesmo que estas últimas tenham sido parcialmente resolvidas", acrescentou.

No domingo, os ministros de Finanças da zona do euro anunciaram detalhes de um plano de assistência financeira para a Grécia e garantiram 30 bilhões de euros para o país no primeiro ano do programa. A iniciativa vem depois que os spreads entre a taxa dos bônus gregos e alemães subiram para novos recordes na semana passada, devido a temores de um calote grego.

O Dow Jones subiu 8,62 pontos, ou 0,08%, para 11.005,97 pontos - maior nível de fechamento desde 26 de setembro de 2008. Entre os componentes do índice, a Caterpillar teve o melhor desempenho, registrando alta de 2,24% em suas ações. A Alcoa, que também faz parte do Dow Jones, anunciou após o fechamento do mercado um prejuízo líquido de US$ 201 milhões para o primeiro trimestre deste ano, em comparação a um prejuízo de US$ 497 milhões em igual período de 2009. As ações da companhia encerraram o pregão em alta de 1,25%, mas no after market os papéis recuavam 0,41%.

O índice Nasdaq avançou 3,82 pontos, ou 0,16%, para 2.457,87 pontos - maior fechamento desde 18 de junho de 2008 -, enquanto S&P 500 subiu 2,11 pontos, ou 0,18%, para 1.196,48 pontos.

"O mercado está muito tênue e cauteloso", disse Roy Williams, executivo-chefe do Prestige Wealth Management Group. "O mercado tinha bastante impulso no final de março, mas agora está tentando encontrar um rumo e esperando para ver o que as empresas apresentarão em seus balanços e o que deve acontecer do ponto de vista dos empregos".

Ele acrescentou que em janeiro, quando foram divulgados os balanços do quarto trimestre de 2009, houve uma venda generalizada de ações mesmo diante de lucros e resultados maiores do que as previsões de analistas porque o mercado já havia embutido nos preços essas eventuais "surpresas". "Foi um caso de compra no boato e venda no fato", disse Williams, ressaltando que espera uma repetição desta tendência.

Amanhã, a Intel, maior fabricante mundial de chips em termos de receita, apresentará seu balanço do primeiro trimestre depois do fechamento do mercado. Analistas consultados pela Thomson Reuters preveem que a companhia anunciará um lucro de US$ 0,38 por ação e uma receita de US$ 9,81 bilhões para o período. Em igual trimestre de 2009, a Intel registrou lucro de US$ 0,11 por ação e receita de US$ 7,1 bilhões. As ações da companhia caíram 0,04% nesta segunda-feira. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,84
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,35
    68.594,30
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host