UOL Notícias Notícias
 

15/04/2010 - 15h25

Bolsas europeias fecham nas máximas em 18 meses

Londres - As principais bolsas de valores de Europa fecharam em alta e estabeleceram pontuação máxima em 18 meses, depois de experimentarem quedas no decorrer da sessão em meio a sinais de que a Grécia estaria mais próxima de recorrer a um pacote de ajuda financeira externa ao pedir negociações com a Comissão Europeia, com o Banco Central Europeu (BCE) e com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Analistas consideram que as negociações da Grécia com as entidades multilaterais dão um tom positivo, mesmo que somente no curto prazo.

O mercado de ações grego fechou em alta. O índice composto ASE, da bolsa de valores de Atenas subiu 2,1%, fechando em 2.028,55 pontos. Os ganhos registraram-se apesar de o euro ter perdido terreno ante outras moedas fortes.

A especulação intensifica-se em torno de um pacote de ajuda à Grécia formulado pela União Europeia (UE) e pelo FMI cujo montante poderia alcançar os 45 bilhões de euros. Hoje, o FMI e a UE anunciaram o envio de missões à Grécia, a convite do governo local, para negociar um eventual pacote de resgate.

Os mercados europeus também foram impulsionados pela melhora do panorama internacional e pela acentuada elevação das vendas da farmacêutica suíça Roche, levando os papéis da empresa a avançarem 2,8%.

O setor financeiro registrou altas generalizadas. As ações do banco francês Société Générale fecharam em alta de 1,2%; as do alemão Deutsche Bank valorizaram 1,3%. Os papéis da Deutsche Post (correio alemão) apreciaram-se 3,9% depois de a rival UPS ter divulgado bons resultados ao apresentar seu balanço depois do fechamento, ontem, da Bolsa de Valores de Nova York.

"Os mercados, no momento, estão recebendo bom suporte de resultados melhores do que os esperados nos níveis macro e micro", avaliam estrategistas da UniCredit. "Os mercados de ações desconectaram-se do universo do crédito, apresentando fortes ganhos e novas altas globalmente", prosseguem.

"A única questão é se os mercados estão novamente superaquecidos, uma vez que, por exemplo, os problemas da dívida fiscal na Europa e o ambiente na China estão a todo vapor", segundo os estrategistas da UniCredit.

Dados divulgados pela China mostraram que a economia do país cresceu mais do que o esperado no primeiro trimestre de 2010, alimentando temores de que um aperto de política monetária prejudique a demanda.

No setor de aviação, as ações da Ryanair caíram 1,4%, as da SAS perderam 3,9% e as da EasyJet recuaram 0,3%. Aeroportos foram fechados e centenas de voos foram cancelados hoje na Europa depois de uma nuvem de cinzas gerada por uma erupção vulcânica na Islândia ter forçado os controladores do Reino Unido a fecharem a maior parte de seu espaço aéreo.

Na Bolsa de Valores de Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 28,76 pontos, ou 0,50%, encerrando a sessão em 5.825,01 pontos. Em Frankfurt, o índice Dax avançou 13,05 pontos, ou 0,21%, terminando o pregão em 6.291,45 pontos. Na bolsa de Paris, o índice CAC-40 subiu 7,95 pontos, ou 0,20%, fechando em 4.065,65 pontos. Já o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,6%, indo a 272,14 pontos e alcançando seu maior fechamento desde 23 de setembro de 2008. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host