UOL Notícias Notícias
 

19/04/2010 - 15h02

Bolsas europeias fecham em baixa com SEC e aéreas

Londres - Os principais mercados de ações da Europa fecharam em baixa em meio às preocupações com a investigação da Securities and Exchange Commission (SEC, a comissão norte-americana que lida com valores mobiliários) sobre o banco Goldman Sachs e com o impacto econômico do fechamento do espaço aéreo europeu por causa da erupção de um vulcão na Islândia. Os principais mercados acionários do velho continente fecharam em baixa. Na Bolsa de Valores de Londres, o índice FTSE-100 fechou em queda de 0,28%, em 5.727,91 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 recuou 0,41%, fechando em 3.970,47 pontos. O índice Dax, da bolsa de Frankfurt, caiu 0,30%, em 6.162,44 pontos.

Depois de um declínio de 1,6% na sexta-feira, o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,7% hoje, em 266,17 pontos. As ações saíram das mínimas da sessão depois da divulgação do resultado positivo do Citigroup no primeiro trimestre e da suspensão parcial do fechamento do espaço aéreo europeu. O lucro acima do previsto do conglomerado Philips também ajudou o mercado a se recuperar das mínimas, com as ações da companhia subindo 3,3%. "Pelo menos ainda parece haver um pouco de apetite de compra nas baixas dos preços", comentou David Jones, estrategista da IG Index.

Os investidores estão preocupados com a possibilidade de que outras financeiras sejam envolvidas nas transações com hipotecas se os reguladores expandirem suas investigações. Enquanto isso, os temores com relação à Grécia continuam no topo da agenda. O índice composto ASE, da bolsa de valores de Atenas, perdeu mais 2,6%, fechando em 1.944,11 pontos, com as ações do Banco Nacional da Grécia caindo 3,4%.

As negociações entre autoridades gregas e delegações da União Europeia (UE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) para discutir um pacote de resgate ao país, originalmente previstas para hoje, foram adiadas para a quarta-feira por causa da dificuldade em se viajar pela Europa por causa do fechamento do espaço aéreo ao longo dos últimos dias.

No setor aéreo, as ações da Air France-KLM fecharam em queda de 2,9% depois de a companhia ter informado que o caos aéreo por conta da erupção vulcânica na Islândia estava custando a ela cerca de ? 35 milhões por dia. Já os papéis da British Airways, que informou perdas entre 15 milhões e 20 milhões de libras por dia, caíram 1,4%. Também fecharam em baixa as ações das companhias aéreas Lufthansa (-2,6%), EasyJet (-1%), Ryanair (-2,7%) e Iberia (-2,3%).

"Claramente este caso de força maior ocorre em um momento no qual a indústria da aviação mal pode arcar com os custos por causa das perdas sofridas pelas companhias aéreas durante a mais recente crise financeira internacional", disseram analistas da UBS. Segundo eles, as perdas diárias com receita somadas das seis maiores companhias aéreas da Europa estaria agora entre 120 milhões e 140 milhões de euros.

Com o transcorrer dos negócios, porém, os papéis das companhias de aviação recuperaram-se um pouco com algumas boas notícias como a reabertura parcial do espaço aéreo da Alemanha para voos de longa distância da Lufthansa e com afirmações de que o espaço aéreo da Escócia será reaberto amanhã pela manhã. Com a queda no setor aéreo, ações de companhias de transportes terrestres tiveram alta. Os papéis da Eurotunnel, que opera o túnel sob o Canal da Mancha, fecharam em alta de 3,5%; as da locadora de automóveis Avis Europe subiram 9,4%. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host