UOL Notícias Notícias
 

22/04/2010 - 14h06

Bolsas europeias fecham em queda com Grécia

Londres - As bolsas europeias fecharam em queda, refletindo o aumento das preocupações com a Grécia, depois que a Eurostat, a agência de estatísticas da União Europeia, revisou em alta o déficit orçamentário grego no ano passado e que a Moody's rebaixou o rating de crédito do país. Também colaboraram para pressionar as bolsas os balanços corporativos fracos do suíço Credit Suisse e da finlandesa Nokia. O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 1%, para 265,64 pontos, o que deixou o índice 0,9% mais baixo desde o início da semana. O índice FTSE-100, da Bolsa de Londres, recuou 1,02%, para 5.665,33 pontos; o CAC-40, da Bolsa de Paris, declinou 1,33%, para 3.924,65 pontos; e o DAX, da Bolsa de Frankfurt, perdeu 0,99%, para 6.168,72 pontos.

No início do dia, a Eurostat afirmou que o déficit da Grécia em 2009 foi de 13,6% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, acima da previsão do governo de 12,7% do PIB. Mais tarde, a agência de classificação de risco Moody's rebaixou o rating dos bônus da Grécia para A3, de A2, e os colocou em avaliação para possível rebaixamento futuro. O índice ASE da Bolsa de Atenas encerrou a sessão em baixa de 3,91%.

Os receios com a Grécia se espalharam para outros países endividados da zona do euro, como Espanha e Portugal, cujos déficits orçamentários em 2009 foram estimados pela Eurostat em 11,2% e 9,4%, respectivamente. O índice Ibex-35 da Bolsa de Madri fechou em queda de 2,19% e o índice PSI-20 da Bolsa de Lisboa cedeu 2,57%.

Os bancos ficaram entre os piores desempenhos. Credit Suisse pressionou o setor depois de informar que seu lucro líquido subiu 2% no primeiro trimestre, para 2,06 bilhões de francos suíços (US$ 1,92 bilhão). O resultado ficou em linha com as projeções, mas decepcionou ao não superar o esperado, como fizeram concorrentes dos EUA. As ações do Credit Suisse caíram 4,71% na Bolsa de Zurique. Santander perdeu 2,9% na Bolsa de Madri e BNP Paribas declinou 2,15% na Bolsa de Paris.

Os resultados da Nokia também não foram bem vistos e as ações da fabricante de aparelhos de telefonia móvel finlandesa despencaram 14,2% na Bolsa de Helsinque. A companhia anunciou lucro e receita no primeiro trimestre abaixo das expectativas dos analistas, cortou sua projeção para lucro em sua divisão principal e adiou a divulgação da mais recente versão de seu sistema operacional para smartphones.

Por outro lado, a produtora de alimentos suíça Nestlé ajudou a dar certo suporte aos mercados e fechou em alta de 1,7% em Zurique. A companhia teve vendas mais fortes do que o esperado no primeiro trimestre e confirmou suas perspectivas para os ganhos no próximo ano. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,67
    3,136
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,31
    75.990,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host