UOL Notícias Notícias
 

22/04/2010 - 07h19

Maioria das Bolsas da Ásia fecha no vermelho

Tóquio - A maioria dos mercados asiáticos ficou no campo negativo nesta quinta-feira, ignorando os bons resultados de Wall Street. Novamente, as preocupações com medidas de restrição ao setor imobiliário influenciaram o desempenho das principais bolsas da região.

A queda na Bolsa de Hong Kong foi liderada pelas ações das imobiliárias, após o governo informar que pode aumentar as taxas sobre os empreendimentos de alto luxo para conter a especulação imobiliária. O índice Hang Seng caiu 55,99 pontos, ou 0,3%, e terminou aos 21.454,94 pontos.

A Bolsa de Xangai, na China, foi afetada pelo desempenho dos bancos, que sucumbiram às preocupações de que as medidas de Pequim para conter a especulação no mercado imobiliário irão prejudicar seus rendimentos. O índice Xangai Composto baixou 1,1% e encerrou aos 2.999,48 pontos. Já o Shenzhen Composto ganhou 0,2% e terminou aos 1.213,41 pontos.

O yuan se valorizou em relação ao dólar, à medida que os bancos realizaram lucros com os ganhos da unidade norte-americana e os investidores seguiram na expectativa de uma valorização da moeda chinesa no curto prazo. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,8263 yuans, de 6,8275 yuans do fechamento de quarta-feira.

A Bolsa de Taipé, em Taiwan, também foi afetada pelas operações de crédito imobiliário. O índice Taiwan Weighted caiu 0,2% e fechou aos 7.978,69 pontos, com os investidores andando de lado.

Na Bolsa de Seul, na Coreia do Sul, o índice Kospi recuou 0,5% e fechou aos 1.739,52 pontos, em função das realização de lucros em ações de financeiras e de empresas de tecnologia.

Na Austrália, na Bolsa de Sydney, o índice S&P/ASX 200 caiu 1% e fechou aos 4.907,4 pontos, em virtude da retração das ações de minérios afetadas pelo enfraquecimento do preço-base dos metais.

Na Bolsa de Manila, nas Filipinas, o índice PSE subiu 1% e encerrou aos 3.237,57 pontos, conduzido pelas holdings e pelo setor imobiliário, com sinais de que a economia vai bem, inclusive para companhias individuais.

A Bolsa de Cingapura fechou em alta, com procuras por barganhas em numerosas blue chips e a alta nos mercado futuro americano ajudando o índice a mudar para o terreno positivo após ter ficado no negativo a maior parte do dia. O índice Straits Times subiu 0,4% e encerrou aos 2.980,60 pontos.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, ganhou 0,5% e fechou no recorde de 2.926,53 pontos, com compras de papéis em oferta nos setores bancário e automotivo à tarde segurando o índice no positivo. Os investidores "agarraram" ações de empresas que divulgaram ou vão publicar balanços fortes no primeiro trimestre, disseram traders.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, teve alta de 0,3% e fechou aos 1.337,01 pontos, igualmente com compras de ações baratas pelos investidores, notadamente as do setor de tecnologia, que lideraram os ganhos.

Na Tailândia, o índice SET da Bolsa de Bangcoc somou 0,4% e fechou aos 761,18 pontos. O nível de ganhos surpreendeu, uma vez que a situação política local continua em impasse, com o Exército hoje alertando os manifestantes de que poderá agir se não deixarem as ruas. Mas há investidores apostando na retomada das negociações. As informações são da Dow Jones

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host