UOL Notícias Notícias
 

26/04/2010 - 10h18

Bovespa abre em alta em semana de Copom

São Paulo - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que acumulou pequena alta de 0,12% na semana passada, deve se manter sem grande movimentação pelo menos até a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) e do banco central norte-americano, ambas na quarta-feira. A expectativa dos especialistas é de que a Bovespa registre curtas oscilações, salvo alguma notícia inesperada. Para hoje, a expectativa é de um pregão em alta moderada, acompanhando o viés positivo das bolsas internacionais. O índice Bovespa (Ibovespa), que abriu em alta, subia 0,41% às 10h12, aos 69.794 pontos.

As bolsas europeias registram alta mais forte, beirando 1%, lideradas pelos papéis do setor bancário, ainda ecoando o pedido de resgate da Grécia à União Europeia e ao Fundo Monetário Internacional (FMI) na sexta-feira. Mas preocupações com a falta de detalhes sobre como essa ajuda financeira à Grécia será implementada derrubou mais cedo o euro para menos de US$ 1,33. Ontem, o ministro das Finanças da Grécia, George Papaconstantinou, disse que o auxílio financeiro prometido ao seu país chegará rápido o suficiente para impedir a moratória da dívida do país.

Em Nova York, a alta é mais contida, com as bolsas vindo de oito semanas seguidas de ganhos, a maior sequência em mais de seis anos, também por conta da pesada agenda econômica dos próximos dias, que termina na sexta-feira com a divulgação do PIB norte-americano do primeiro trimestre.

A Bovespa, segundo analistas, já precifiou uma alta da Selic de 0,50 ponto porcentual neste Copom, mas uma elevação maior, de 0,75 ponto porcentual, pode trazer realização de lucros adicional, segundo analistas. A pesquisa Focus divulgada hoje ratificou a aposta de elevação da Selic em 0,50 ponto porcentual, para 9,25% ao ano, na próxima quarta-feira, quando o Copom toma sua decisão de política monetária.

No caso da reunião do BC dos EUA, como não se espera mudança na taxa básica de juros, as atenções estarão voltadas para o comunicado, com os investidores em busca de novos sinais sobre a condução da política monetária. A expectativa do mercado é se o Fed removerá a frase de manter os juros em nível extremamente baixos.

Na Bovespa, destaque esta semana para a temporada de balanços do primeiro trimestre, que ganha força - serão conhecidos os resultados de 16 empresas - com destaque para Bradesco, quarta-feira, e Embraer, Cielo e Santander Brasil, na quinta, e Redecard, na sexta-feira. Se os balanços vierem muito melhor do que as previsões podem abrir espaço para compra, mas se vierem em linha o efeito tende a ser neutro.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host