UOL Notícias Notícias
 

27/04/2010 - 14h26

Bolsas europeias fecham em baixa com S&P

Londres - Os mercados acionários europeus fecharam em queda generalizada em meio aos temores de reestruturação da dívida grega e com o rebaixamento das notas de crédito soberano de Portugal e Grécia pela agência de classificação de risco Standard & Poor's. As Bolsas de Valores de Londres e Paris fecharam nas mínimas do dia. Depois de ter subido 1% ontem, o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou hoje em queda de 3,1%, em 261,65 pontos, após a S&P ter rebaixado o rating da Grécia e de ter cortado em dois graus a classificação de Portugal. A perspectiva de rating de crédito para os dois países é negativa, segundo a avaliação da S&P.

"O rebaixamento das dívidas dos governos grego e português pela S&P é outro indício de que a crise fiscal na zona do euro continua a se aprofundar", declarou Ben May, da Capital Economics. "No fim das contas, essa é uma advertência cabal de que o pacote de resgate à Grécia, se e quando ele finalmente aparecer, não representará o fim da crise", prosseguiu May.

Em Atenas, o índice composto ASE fechou em queda de 6,00%, em 1.696,68 pontos, mas o pregão grego terminou pouco antes do anúncio do rebaixamento de rating pela S&P. As ações em Atenas têm sofrido pressão com temores de que o país venha a reestruturar sua dívida. As ações dos bancos gregos, detentores de grande parte dos papéis do governo do país, tiveram queda acentuada, com as do Banco Alpha e do Hellenic Postbank recuando mais de 11% cada e as do Banco Nacional da Grécia perdendo 10%.

"Os mercados estão próximos de precificar uma reestruturação voluntária da dívida", avaliam estrategistas do Royal Bank of Scotland. No entanto, eles consideram tal possibilidade improvável. "Isto seria possível somente, em nosso ponto de vista, se a reforma grega falhasse e/ou se a União Europeia (UE) perdesse o interesse na estabilização da Grécia", afirmam.

Em Lisboa, o índice PSI-20 recuou 5,36%, fechando em 7.152,42 pontos. As ações do conglomerado Sonae e as do Banco Comercial Português recuaram ambas 7,6% na sessão de hoje. Em Madri, o índice Ibex-35 fechou em queda de 4,07%, em 10.494,40 pontos. Na bolsa de Milão, o índice FTSE MIB recuou 3,28%, encerrando o pregão em 22.036,47 pontos.

A queda também foi generalizada entre as principais bolsas de valores do Velho Continente, com os mercados parisiense e londrino fechando nas mínimas do dia. Em Frankfurt, o índice Dax caiu 2,73%, terminando o pregão em 6.159,51 pontos; o índice CAC-40, da Bolsa de Paris, perdeu 3,82%, fechando em 3.844,60 pontos; já o índice FTSE-100, da Bolsa de Londres, recuou 2,61%, encerrando a sessão em 5.603,52 pontos.

Além dos bancos, a queda também afetou os produtores de commodities e o setor de alimentação. Os papéis da Rio Tinto caíram 5,2%; as ações da Nestlé tiveram desvalorização de 1%; as da petrolífera BP perderam 2,7%. À espera da divulgação do balanço da companhia, prevista para amanhã, os papéis da Royal Dutch Shell subiram 0,4%. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host