UOL Notícias Notícias
 

28/04/2010 - 15h18

Ouro volta a ter status de porto seguro

Londres - Os contratos de ouro à vista superaram US$ 1,174 por onça-troy, seu nível mais alto desde o recorde histórico atingido em dezembro de 2009, apesar da queda dos preços de outras commodities e do fortalecimento do dólar. O avanço mostra que o status de porto seguro do metal precioso está novamente em voga. Assim, pela primeira vez em muitos meses os preços do ouro estão fazendo o que a teoria diz que deveriam fazer: estão subindo quando o apetite por risco diminui.

"Os atributos do ouro como porto seguro estão começando a superar seus atributos como hedge para o câmbio", afirmou James Steel, do HSBC. Até agora, os receios com relação a riscos soberanos vinham agindo como um sério fator de pressão sobre os preços do ouro. Durante vários meses, os preços do metal operaram direcionados pelo apetite dos investidores: subiam quando o apetite por risco subia e caía quando o apetite por risco caía.

No entanto, isso mudou ontem, quando a Grécia - que tem estado no topo da lista de potenciais defaults sobre dívida soberana - foi rebaixada pela Standard & Poor's a grau especulativo. O rebaixamento da Grécia, junto com o de Portugal, também ontem, e o da Espanha, hoje, aumentaram os receios de que mais países da zona do euro possam receber o mesmo tratamento.

"Dada a piora da situação de dívida europeia e os temores de contágio, nós esperamos que o ouro - e a prata em um grau menor - permaneça firmemente sustentado pela diversificação de investimentos", afirmou James Moore, do TheBullionDesk. Depois de atingir US$ 1.174,75 por onça-troy, os contratos de ouro à vista subiam 0,36%, para US$ 1.169,50 por onça-troy, às 15h (de Brasília). As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host