UOL Notícias Notícias
 

04/05/2010 - 13h59

Europa fecha em queda forte com temor sobre dívidas

Londres - Os mercados europeus de ações fecharam em queda acentuada em um dia de grande depreciação dos papéis dos bancos em meio a renovados temores quanto à saúde financeira de países da periferia da zona do euro. As mineradoras, por sua vez, foram afetadas por uma proposta de elevação de impostos sobre a exploração de recursos naturais na Austrália.

As ações dos bancos, que são grandes detentores de títulos de dívida de governos, apresentaram queda acentuada, com o francês Crédit Agricole perdendo 6%, o espanhol Santander recuando 7,3% e o Banco Nacional da Grécia caindo 13%.

No domingo, o governo grego concordou em implementar medidas de austeridade fiscal em troca de um pacote de resgate financeiro de 110 bilhões de euros oferecido pela União Europeia (UE) e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI). Hoje, no entanto, o ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schaeuble, teria comentado que a Grécia correria risco de insolvência se não se ativesse firmemente a um plano de redução de déficit fiscal.

"O pacote de ajuda está na mesa, mas há temores de que o Parlamento alemão não o aprove. Os mercados também não estão certos quanto à capacidade do governo grego de implementar as medidas", opinou Philippe Gijsels, diretor de pesquisa do BNP Paribas Fortis Global Markets.

O índice composto ASE, da Bolsa de Valores de Atenas, caiu 123,98 pontos, ou 6,68%, fechando em 1.729,68 pontos. Em Portugal, o PSI-20 recuou 4,2%, encerrando a sessão em 7.097,78 pontos. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 perdeu 563,70 pontos, ou 5,41%, baixando da casa dos 10.000 pontos e terminando o pregão em 9.859,10 pontos.

"Os spreads estão voltando a aumentar e o euro está em queda. Isto me faz crer que há novos temores de que a crise se espalhe para Portugal e Espanha", comentou Gijsels.

As ações das mineradoras também apresentaram perdas acentuadas. Os papéis da Rio Tinto caíram 6,4% e os da BHP Billiton recuaram 7,9%. Os investidores reagiram a uma proposta apresentada ontem pelo governo da Austrália de taxar em 40% os lucros obtidos com a extração de recursos naturais no país.

As ações da British Petroleum caíram mais 3% enquanto a companhia luta em conter um vazamento de petróleo no Golfo do México com potencial de transformar-se em um dos maiores desastres ambientais da história norte-americana.

Entre os principais índices de ações da Europa, o CAC-40, da Bolsa de valores de Paris, recuou 139,17 pontos, ou 3,64%, fechando em 3.689,29 pontos; em Londres, o FTSE-100 perdeu 142,18 pontos, ou 2,56%, encerrando em 5.411,11 pontos; o índice Dax, da Bolsa de Frankfurt, caiu 160,06 pontos, ou 2,60%, terminando o pregão em 6.006,86 pontos. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 2,9%, parando em 252,93 pontos e recuando aos níveis de março. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host