UOL Notícias Notícias
 

12/05/2010 - 14h37

Bolsas europeias fecham em alta com setor financeiro

Londres - Os resultados financeiros do ING e da Allianz ajudaram as bolsas de valores europeias a fecharem em alta no primeiro dia de funcionamento de um governo de coalizão no Reino Unido. O desempenho das ações nos mercados norte-americanos e o plano da Espanha para acelerar sua consolidação fiscal também tiveram influência sobre o bom desempenho das bolsas do Velho Continente.

"Os investidores estão acompanhando atentamente as economias europeias para vislumbrar um modo de consertar os buracos no telhado para manter os esforços de recuperação. Com o anúncio, pela Espanha, de cortes agressivos, e com os indicadores sugerindo crescimento do PIB na Alemanha e na Itália, a confiança do investidor recebeu algum fôlego", opinou Giles Watts, da City Index.

Os resultados do ING e da Allianz referentes ao primeiro trimestre de 2010 sustentaram uma forte performance do setor financeiro nas bolsas europeias. Os papéis do ING Groep avançaram 4,2% depois de a empresa ter anunciado retorno ao lucro; as ações da Allianz valorizaram 3,4% no dia com o anúncio de que o lucro da companhia foi beneficiado por um aumento de 10% nas receitas dos primeiros três meses do ano.

A exceção no setor financeiro ficou por conta do Reino Unido, onde o Royal Bank of Scotland recuou 3,2% e o Lloyds Banking Group caiu 1,3% em meio a temores de que a nova coalizão de governo empossada em Londres adote medidas para limitar a atuação dos bancos.

Mais cedo, notícias de que a Espanha planeja acelerar sua consolidação fiscal para cumprir as metas revisadas de déficit aumentaram a confiança dos investidores na capacidade de países altamente endividados da periferia da zona do euro conseguirem promover medidas de austeridade fiscal. Sob pressão da União Europeia (UE) e dos mercados financeiros, o primeiro-ministro da Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero, disse que seu país reduzirá em 5% os salários do funcionalismo público este ano e os manterá congelados em 2011.

Também hoje, os dados referentes ao produto interno bruto (PIB) da zona do euro deram alento ao mercado ao mostrarem que os países da região saíram da recessão. O PIB da zona do euro cresceu 0,2% no primeiro trimestre de 2010, em comparação com o trimestre anterior, depois de ter ficado estagnado nos últimos três meses de 2009. O número ficou um pouco acima da expectativa dos analistas.

Todos os principais mercados de ações da Europa fecharam em alta. O índice FTSE-100, da Bolsa de Londres, subiu 0,92%, encerrando o pregão em 5.383,45 pontos; em Paris, o CAC-40 avançou 1,10%, fechando em 3.733,87 pontos; o índice Dax, de Frankfurt, ganhou 2,41%, terminando a sessão em 6.183,49 pontos. Já o índice pan-europeu Stoxx 600 avançou 1,45%, fechando em 256,60 pontos. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h19

    -0,12
    3,132
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h27

    -0,80
    75.379,03
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host