UOL Notícias Notícias
 
15/05/2010 - 09h34 / Atualizada 15/05/2010 - 09h52

Lixo reciclável vai para aterro comum em SP

São Paulo - Parte do lixo reciclável da capital paulista está indo para aterros sanitários comuns. O motivo é que as 16 cooperativas de catadores cadastradas pela Prefeitura para fazer a triagem de lixo estão saturadas e não conseguem receber o material separado pela população. Como resultado, nas últimas semanas, parte do lixo reciclável fica na rua e acaba sendo coletado pelos caminhões de lixo normais, indo parar nos aterros comuns.

O problema atinge cerca de 10% do volume do lixo reciclável coletado nas regiões sul e leste de São Paulo pelo consórcio Ecourbis. Isso significa que, mensalmente, 180 toneladas podem deixar de passar pelo processo de coleta seletiva, o que, em peso, corresponde a 362 milhões de garrafas PET. Parte desse lixo acaba sendo recolhido por caminhões comuns, como aconteceu nesta semana em ruas da Vila Mariana.

A Loga Ambiental, que atende as regiões norte e oeste da capital, também enfrenta problemas por causa da falta de espaço das cooperativas, mas ainda consegue retirar o lixo reciclável das calçadas. Depois que o lixo é recolhido, aguarda até que as centrais tenham espaço para receber o material.

Em março, uma decisão da 3.ª Vara da Fazenda Pública determinou que fossem instaladas centrais de triagem nas 31 subprefeituras até o fim deste ano. Atualmente, só existem 16 centrais na cidade, que funcionam a partir do trabalho de cooperativas de catadores cadastradas. O governo vai recorrer da decisão e diz que a meta definida pela Justiça será alcançada até 2012. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host