UOL Notícias Notícias
 
18/05/2010 - 10h37 / Atualizada 18/05/2010 - 10h39

Bolsas de NY abrem em alta com indicadores

Nova York - As Bolsas de Nova York abriram em alta hoje, mostrando que o avanço no final do pregão de ontem fez mais sentido do que o movimento de baixa ao longo do dia. Os investidores estão hoje com foco nos indicadores e balanços no cenário doméstico, sem abandonar, no entanto, a cautela em relação à Europa. O que se viu esta manhã serve para alimentar otimismo em relação à economia norte-americana com aumento acima do esperado de obras residenciais iniciadas, queda nos preços ao produtor e Home Depot divulgando resultados e projeções animadores. Às 10h35 (de Brasília), o Dow Jones subia 0,65%, o Nasdaq ganhava 0,70% e o S&P 500 avançava 0,73%.

O número de obras residenciais iniciadas subiu 5,8% em abril, em comparação com março, para a taxa anual sazonalmente ajustada de 672 mil. Economistas esperavam um aumento de 3,8%. Em relação a abril do ano passado, o número de obras residenciais iniciadas nos EUA subiu 40,9%. Os contratos futuros do ouro, que estavam em baixa diante da redução do temor em relação à Europa, acentuaram queda depois desses dados. O contrato com vencimento em junho, o mais negociado, estava em queda de 1,10%, a US$ 1.212,27 a onça-troy.

O índice de preços ao produtor dos EUA (PPI) caiu 0,1% em abril em relação março, quando subiu 0,7%. Excluindo os preços dos setores de energia e alimentos, o núcleo do PPI subiu 0,2% em abril, após alta de 0,1% em março. Economistas esperavam alta de 0,1% do índice cheio e do núcleo.

Entre os papéis para se olhar hoje estão os da Home Depot, que subiam 0,87% no pré-mercado depois de a empresa informar aumento de 41% no lucro no primeiro trimestre e elevar suas projeções para o ano de 2010. No período, a empresa lucrou US$ 725 milhões (US$ 0,43 por ação); excluindo itens extraordinários, o lucro por ação subiu para US$ 0,45, de US$ 0,35 no mesmo período do ano passado. As receitas subiram 4,3% para US$ 16,86 bilhões. Analistas esperavam lucro de US$ 0,40 a partir de US$ 16,37 bilhões em receitas.

As ações do Wal-Mart subiam 0,61% no pré-mercado, após a empresa divulgar que o lucro subiu 10% no primeiro trimestre, para US$ 3,32 bilhões (US$ 0,88 por ação), batendo suas próprias estimativas, mas ao mesmo tempo alertar que "o cenário continua desafiador". As receitas subiram 5,9% para US$ 99,85 bilhões. As ações da HP estavam em alta de 1,22%. A empresa deve divulgar lucro de US$ 1,05 no segundo trimestre fiscal quando informar seu balanço.

Os papéis da Boeing estavam em alta de 1,18% no pré-mercado, depois de a empresa informar aumento de produção para 34 aeronaves por mês até 2012 para atender "a contínua forte demanda". As ações da BP subiam 1,11%, depois de a petrolífera informar que está conseguindo recuperar em torno de 2 mil barris por dia do petróleo que vazou no Golfo do México e que continua a desenvolver opções para estancar o derramamento de petróleo no oceano.

As ações de grandes bancos dos Estados Unidos estavam em alta no pré-mercado, apesar de uma investigação para se saber se enganaram as agências de rating e também com pressões com a reforma financeira que está em curso no Congresso norte-americano. As ações do JP Morgan (+0,78%); Morgan Stanley (+0,52%); Citigroup (+1,30%); Bank of America (+1,35%); UBS (+2,47%) e Goldman Sachs (+0,66%) subiam.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host