UOL Notícias Notícias
 
19/05/2010 - 17h29 / Atualizada 19/05/2010 - 17h33

Petróleo fecha em alta em NY, a US$ 69,87 o barril

Nova York - Os contratos futuros de petróleo interromperam hoje seis sessões seguidas de queda, impulsionados pela melhora na perspectiva do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) para a economia do país. As preocupações em relação à Europa, no entanto, permanecem.

Os ganhos foram limitados aos contratos com vencimento em junho, que vencem amanhã. O contrato futuro de petróleo para este vencimento fechou em alta de 0,7%, a US$ 69,87 o barril. Já o contrato futuro com vencimento em julho - mais negociados - recuaram 0,3%, para US$ 72,48 o barril. No mercado eletrônico ICE de Londres, o contrato futuro com vencimento em julho do petróleo tipo Brent fechou em queda de US$ 0,74, a US$ 73,69 o barril.

Os contratos de petróleo fecharam em queda em dez das últimas 11 sessões, perdendo quase US$ 20 por barril, como reflexo das crescentes preocupações de que os altos níveis da dívida da Grécia podem ter um efeito negativo no crescimento econômico da Europa. Nem mesmo o plano de ajuda da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI), de quase US$ 1 trilhão para a Grécia, impediu a queda do petróleo, principalmente porque as finanças de Portugal e Espanha parecem cada vez mais frágeis.

O mercado de petróleo tem visto mais os EUA e a China como incentivadores de crescimento neste ano, mas a demanda global não deve escapar à pressão para baixo de uma desaceleração europeia, disse Matt Zeman, presidente de transação do LaSalle Futuros Group, em Chicago. "Se nós tiramos a UE da equação, perdemos uma enorme fatia da população consumidora que pode ajudar a liderar essa recuperação global", comentou. "A única coisa que faz sentido é que os preços do petróleo vão cair."

Dúvidas sobre a economia da Europa levaram os contratos com entrega para junho a uma mínima de US$ 67,90 o barril no começo do dia. No entanto, os contratos se recuperaram das perdas no fim da sessão, depois que a ata da reunião de abril do Fed mostrou que os membros do banco central estão elevando suas previsões para 2010. O Fed agora prevê que a economia dos EUA vai crescer entre 3,2% e 3,7% este ano, acima da previsão de janeiro, de uma expansão entre 2,8% e 3,5%.

Os dados semanais dos estoques do Departamento de Energia dos EUA tiveram pouco impacto nas transações do dia. O relatório, sobre a semana terminada no dia 14 de maio, mostrou que os estoques de petróleo e combustível subiram pela quinta semana seguida, chegando ao recorde de 37,9 milhões de barris. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host