UOL Notícias Notícias
 
21/05/2010 - 14h19 / Atualizada 21/05/2010 - 14h30

Bolsas europeias fecham em queda em sessão volátil

Londres - Os principais mercados de ações da Europa voltaram a fechar em queda ao término de sessões extremamente voláteis em meio ao receio dos investidores com relação às perspectivas de crescimento econômico. Apesar disso, as bolsas fecharam bem acima das mínimas. O índice pan-europeu Stoxx 600 chegou a cair quase 3% em um momento do pregão, mas encerrou em queda de 0,52%, a 237,04 pontos. O declínio de hoje, depois de uma queda acentuada na sessão de ontem, levou a 4,6% as perdas do Stoxx 600 no acumulado da semana.

O nível das dívidas soberanas e os riscos político e econômico têm sido os catalisadores do recente movimento de venda, disse Richard Batty, estrategista da Standard Life Investments. Apesar de o Parlamento da Alemanha ter aprovado a contribuição do país para o pacote de 750 bilhões de euros oferecido em conjunto pela União Europeia (UE) e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) para ajudar países da zona do euro em dificuldades financeiras, o governo do país assustou os investidores no início da semana, quando proibiu diversas modalidades de posições vendidas a descoberto.

"Não é um grande ambiente para as economias, uma vez que provavelmente teremos uma das mais difíceis recuperações econômicas devido aos problemas no setor financeiro", disse Batty. "Nós acreditamos que será uma recuperação agitada e que o mercado tenha se antecipado a isto."

A Bolsa de Valores de Frankfurt teve a queda mais acentuada entre os principais mercados de ações da Europa. O índice Dax caiu 0,66%, fechando em 5.829,25 pontos. Em Londres, o índice FTSE-100 recuou 0,20%, encerrando a sessão em 5.062,93 pontos. Na bolsa de Paris, o índice CAC-40 perdeu0,05%, terminando o pregão em 3.430,74 pontos. As vendas atingiram a maior parte dos setores negociados nos mercados europeus de ações. Os papéis das companhias farmacêuticas GlaxoSmithKline e Sanofi-Aventis recuaram 2,27% e 1,39%, respectivamente.

Empresas cujo desempenho estão mais atrelados às tendências de crescimento econômico também tiveram desempenho fraco. No setor químico, as ações da Basf caíram 0,87%. "Nós vimos o primeiro declínio no índice de expectativas Ifo depois de 16 elevações. Creio que isso estava na cabeça dos investidores esta semana, pois nós vimos uma performance bem abaixo do normal nas ações cíclicas nos últimos dois dias", disse Gerhard Schwarz, diretor de estratégia do UniCredit.

As ações das companhias de petróleo e gás também cederam. Os papéis da Royal DutchShell caíram 1,12%; os da British Petroleum, que continua lutando contra um extenso vazamento de petróleo no Golfo do México, cederam 4,18%. Já as mineradoras, estimuladas pela alta do cobre, tiveram ganhos na sessão de hoje. As ações da Rio Tinto avançaram 3,45% e as da Xstrata subiram 6,36%.

"O setor de mineração sofreu o impacto maior da falta de liquidez e das preocupações macroeconômicas. Apesar de a melhor coisa a fazer seja se afastar um pouco e observar os movimentos, o setor atingiu, em nossa opinião, um nível que oferece um ponto de entrada atraente", escreveram analistas do setor de mineração do Citigroup. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host