UOL Notícias Notícias
 
24/05/2010 - 10h53 / Atualizada 24/05/2010 - 11h49

Bolsas de NY caem após abertura

Nova York - As Bolsas de Nova York registram baixa após a abertura, depois da breve recuperação da sexta-feira. Os investidores ainda demonstram preocupação com a Europa, embora os sinais de melhora da economia norte-americana possam ajudar a impulsionar os índices ao longo da semana. Às 10h51 (horário de Brasília), o Dow Jones recuava 0,69%, o Nasdaq registrava baixa de 0,04% e o S&P 500 caía 0,53%.

Na sexta-feira, o Dow Jones subiu 1,25%, para 10.193,39 pontos, mas acumulou queda de 4,02% na semana e de 2,25% no ano. o Nasdaq avançou 1,14%, para 2.229,04 pontos, com queda acumulada de 5,02% na semana e 1,77% no ano. Já o S&P 500 teve alta de 1,5%, para 1.087,69 pontos, com queda de 4,23% na semana passada e de 2,46% no ano.

Hoje, mais uma notícia surge para aumentar as dúvidas sobre a Europa. O Banco da Espanha (o banco central do país) assumiu o controle no fim de semana do banco de poupança CajaSur. No entanto, a instituição garantiu que o colapso do CajaSur não afetará o sistema bancário do país. Além disso, os principais sindicatos da Espanha anunciaram que estão se preparando para uma greve geral contra as medidas de austeridade fiscal aprovadas recentemente.

Apesar da fraqueza da economia europeia, o fortalecimento da economia dos EUA poderá se impor no mercado de ações. Hoje, o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) de Chicago informou que o Índice Nacional de Atividade subiu ao seu nível mais elevado desde dezembro de 2006, de 0,13 em março para 0,29 em abril.

Segundo relatório de maio da National Association for Business Economics (Nabe), "ainda que os riscos envolvendo a Europa tenham aumentado recentemente, a percepção em relação a este país (EUA) melhorou na maioria dos aspectos", disse o presidente da Nabe, Lynn Reaser. Conforme o relatório, as perspectivas para crescimento no país estão mais fortes, o desemprego e a inflação estão mais baixos e as preocupações em relação à redução do consumo e os ventos contrários no setor financeiro doméstico estão menores.

Também hoje, o presidente dos EUA, Barack Obama, deve enviar ao Congresso uma proposta que torne mais rápido e fácil cortar desperdícios dos gastos do governo. Amanhã, a Câmara dos Representantes deve votar a lei que elevará os impostos para gestores de fundos de investimentos de 15% para 35%. Profissionais como médicos e advogados, além de algumas multinacionais, também estariam sujeitos a essa lei.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host