UOL Notícias Notícias
 
31/05/2010 - 07h29 / Atualizada 31/05/2010 - 07h36

Bolsas asiáticas fecham sem sinal definido

Tóquio - Os mercados da Ásia não apresentaram tendência definida nesta segunda-feira. No encerramento do mês, as bolsas da região sofrerem influências diversas. A China foi a mais afetada.

A Bolsa de Hong Kong fechou praticamente estável. A presença de investidores em busca de ofertas de ocasião foi ofuscada pelo forte declínio nas ações chinesas, em meio às preocupações sobre a crise europeia e a possibilidade de novas medidas de austeridade por parte de Pequim. O índice Hang Seng caiu 1,52 ponto, ou 0,01%, e terminou aos 19.765,19 pontos - no mês, o índice acumulou baixa de 6,4%, o pior resultado desde janeiro, quando perdeu 8%.

Já as Bolsas da China tiveram fortes quedas, em virtude da aprovação do plano do governo de reformar as taxas imobiliárias. O índice Xangai Composto baixou 2,4% e encerrou aos 2.592,15 pontos - no mês, o índice apresentou queda de 9,7%, por conta dos problemas na zona do euro e a série de medidas adotadas por Pequim para desaquecer o mercado imobiliário. O índice Shenzhen Composto perdeu 2,8% e terminou aos 1.033,49 pontos, com baixa de 7,1% em maio.

O yuan se valorizou em relação ao dólar, devido às vendas de fim do mês da moeda norte-americana por parte das empresas exportadoras. No mercado de balcão, o dólar fechou cotado em 6,8279 yuans, de 6,8313 yuans do fechamento de sexta-feira.

A Bolsa de Taipé, em Taiwan, apresentou a quarta sessão seguida de ganhos, no embalo dos demais mercados regionais. O índice Taiwan Weighted subiu 1,1% e fechou aos 7.373,98 pontos - no mês, contudo, o índice acumulou perda de 7,9%.

Na Coreia do Sul, a procura dos investidores estrangeiros por ações baratas levou o índice Kospi da Bolsa de Seul à alta de 1,1%, fechando aos 1.641,25 pontos.

Já o índice S&P/ASX 200 da Bolsa de Sydney, na Austrália, baixou 0,6%, e fechou aos 4.429,7 pontos, sob pressão da queda das bolsas de Nova York na sexta-feira e das vendas de fim de mês.

A Bolsa de Manila, nas Filipinas, fechou com o índice PSE em alta de 0,6%, terminando aos 3.272,73 pontos.

A Bolsa de Cingapura fechou em alta, em linha com os índices regionais, uma vez que a fraqueza generalizada nos mercados financeiros no mês de maio providenciou oportunidades de compras para os investidores. O mercado local ignorou a baixa em Wall Street semana passada. O índice industrial Dow Jones recuou quase 8% no mês, marcando a maior queda em um mês desde fevereiro de 2009 e o pior porcentual para um mês de maio desde 1940. O índice Straits Times subiu 0,5% e fechou aos 2.752,60 pontos, encerrando o mês em baixa de 7,5%.

O índice composto da Bolsa de Jacarta, na Indonésia, avançou 3,1% e fechou aos 2.796,96 pontos, por conta de buscas por ofertas e pela estabilidade da moeda rupia, o que pode ajudar a reduzir as dívidas de muitas companhias, e na expectativa de número benigno de inflação ao consumidor.

O índice SET da Bolsa de Bangcoc, na Tailândia, teve alta de 1,8% e fechou aos 750,43 pontos, terceira alta consecutiva, uma vez que os investidores continuam a adquirir ações desvalorizadas. No entanto, o índice fechou o mês negativo em 1,7%, depois da queda de 3,1% em abril.

O índice composto de cem blue chips da Bolsa de Kuala Lumpur, na Malásia, subiu 1,2% e fechou aos 1.285,01 pontos, aproximando-se dos ganhos nos mercados globais uma vez que o local esteve fechado sexta-feira por conta de um feriado. O índice foi impulsionado por compras de barganhas em pesos pesados. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host