UOL Notícias Notícias
 
04/06/2010 - 18h57 / Atualizada 04/06/2010 - 19h11

Crise na Hungria faz ações caírem nos EUA

Nova York - Os principais índices do mercado de ações dos EUA fecharam o dia em queda, em reação aos dados de emprego no país, mais fracos que o esperado, e diante do receio em relação à Hungria. O vice-presidente do partido Fidesz, que venceu as eleições gerais húngaras em abril, afirmou que o país está diante de uma crise de dívida soberana semelhante à da Grécia.

Embora não faça parte da zona do euro, a Hungria é um importante parceiro comercial dos países que utilizam a moeda europeia. "Recebemos um cartão postal da Hungria - as coisas não estão boas, mandem dinheiro. É um lembrete de que a questão da dívida ainda está lá e é importante", afirmou Karl Mills, gerente do Counterpoint Select Fund.

Ao fim da sessão, o índice Dow Jones caiu 3,15%, para 9.931,97 pontos, o menor nível de fechamento desde 8 de fevereiro. Na semana, o indicador acumulou queda de 2,02%. Já o Nasdaq recuou 3,64%, para 2.219,17 pontos, no menor nível de fechamento desde 26 de maio. A queda acumulada da semana foi de 1,68%. O S&P 500 caiu 3,44%, para 1.064,88 pontos, registrando o fechamento mais baixo desde 8 de fevereiro e um declínio acumulado de 2,25% na semana.

Todos os componentes do Dow Jones encerraram a sessão em território negativo, puxados pelo declínio das ações da Caterpillar (baixa de 5,48%), da American Express (queda de 5,25%) e da Boeing (recuo de 4,79%).

Dados divulgados mais cedo pelo Departamento do Trabalho dos EUA mostraram que a economia do país teve um ganho líquido de 431 mil novos postos de trabalho em maio - o maior aumento desde março de 2000. No entanto, o número foi favorecido por 411 mil novas contratações temporárias do governo norte-americano para a realização do censo. Analistas esperavam que a economia dos EUA gerasse 515 mil novos postos de trabalho em maio.

"Esse número de emprego foi definitivamente uma decepção", disse Terry Morris, gerente de portfólios do National Penn Investors Trust. "Hoje tivemos uma aula de como o medo pode atingir os mercados e de como os indicadores podem apontar para um cenário menos que positivo", disse Quincy Krosby, estrategista-chefe de mercado da Prudential Financial. "É um mercado tentando se ajustar para um cenário de crescimento mais lento."

Na New York Stock Exchange (Nyse), o volume negociado alcançou 1,635 bilhão de ações, de 1,222 bilhão de ações na quinta-feira. Na Nasdaq, o volume somou 2,262 bilhões de ações - 322 ações subiram e 2.406 caíram. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h00

    0,45
    3,172
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h05

    0,35
    74.704,52
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host