UOL Notícias Notícias
 
11/06/2010 - 15h05 / Atualizada 11/06/2010 - 15h47

Gabrielli: pior que produtor cultural, só banqueiro

Salvador - O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, não poupou críticas aos produtores culturais do País durante o lançamento da edição 2010 do Programa Petrobras Cultural (PPC), nesta manhã em Salvador.

"Produtor cultural é um bicho complicado, ele acha que pode tudo, mas às vezes não tem CNPJ, não tem estatuto, não tem organização nenhuma, e precisa ter, porque nós vamos prestar contas do dinheiro que estamos dando", disse. "Só tem uma categoria pior do que produtor cultural, que é banqueiro."

O PPC vai distribuir R$ 61,2 milhões para projetos em 19 áreas culturais, com destaque para audiovisual (R$ 21,2 milhões), artes cênicas (14,6 milhões) e memória das artes (R$ 7 milhões). As inscrições para o programa podem ser feitas pelo site www.petrobras.com.br/PCC.

De acordo com Gabrielli, Salvador foi escolhida para o lançamento do programa por causa do esforço para descentralizar a produção cultural do País - no ano passado, 60% dos investimentos do PPC foram aplicados em ações do eixo Rio-São Paulo. "É natural que a maior parte dos recursos fique entre Rio e São Paulo, porque a maioria dos produtores culturais está nessa região, mas temos de incentivar a descentralização", defendeu.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h59

    0,27
    3,153
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h05

    0,75
    65.499,27
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host