UOL Notícias Notícias
 
15/06/2010 - 17h26 / Atualizada 15/06/2010 - 17h28

Bolsa segue exterior e sobe 1,43%; jogo reduz negócios

São Paulo - O pregão na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) hoje teve um divisor de águas: o jogo de estreia do Brasil na Copa do Mundo da África do Sul. O grosso das operações ocorreu antes das 15 horas, a tempo de os investidores e operadores se prepararem para assistir a partida. Desta forma, o índice Bovespa pouco se mexeu depois desse horário, garantindo até o final o desempenho conquistado mais cedo. O Ibovespa retomou os 64 mil pontos, nível registrado pela última vez há pouco mais de um mês.

O Ibovespa terminou a sessão em alta de 1,43%, aos 64.442,27 pontos, maior nível desde os 64.788,22 pontos de 13 de maio passado. Na mínima, registrou 63.534 pontos (estável) e, na máxima, os 64.554 pontos (+1,61%). No mês, a Bolsa acumula ganho de 2,21% e, no ano, queda de 6,04%. O giro financeiro somou R$ 3,742 bilhões, o menor do mês. Os dados são preliminares. Segundo um profissional do mercado de renda fixa, os acontecimentos na Bovespa estavam limitados ao horário pré-jogo. O Ibovespa oscilou pouquíssimo durante a partida.

O sinal positivo do dia veio do exterior, onde as bolsas fecharam com ganhos firmes - em Nova York, eles foram até maiores do que os daqui. O Dow Jones subiu 2,10%, aos 10.404,77 pontos, o S&P terminou em alta de 2,35%, aos 1.115,23 pontos, e o Nasdaq ganhou 2,76%, aos 2.305,88 pontos.

O mercado reagiu positivamente ao índice Empire State, de atividade industrial da região de Nova York e ao índice de confiança das construtoras, mas o que agradou mesmo foram os comentários da Comissão Europeia de que Alemanha, Espanha, Portugal e outros nove governos da União Europeia estão na direção certa para atingirem suas metas de déficit de orçamento em 2010 e a colocação de títulos de curto prazo pela Espanha puxaram as altas. As bolsas europeias também subiram.

O euro deu uma grande contribuição às bolsas ao manter-se em alta e acima de US$ 1,23 pela primeira vez desde 3 de junho. Com isso, as commodities metálicas também avançaram e o petróleo fechou acima de US$ 76. Na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), o barril registrou ganho de 2,42%, a US$ 76,94 o barril, maior nível desde os US$ 77,11 de 6 de maio.

As ações da Petrobras, no entanto, não seguiram de perto o preço do petróleo no mercado futuro. A ação ordinária (ON) subiu 0,62% e a preferencial (PN) caiu 0,17%. Vale ON ganhou 1,43% e Vale PNA, 1,20%.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,40
    3,181
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    2,01
    70.011,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host