UOL Notícias Notícias
 
16/06/2010 - 10h42 / Atualizada 16/06/2010 - 10h51

Bolsas de Nova York abrem em baixa com dados ruins

Nova York - As Bolsas de Nova York abriram em baixa hoje, com a divulgação de números piores do que o esperado sobre o setor de construção dos Estados Unidos somou-se às preocupações com o crescimento global, em meio aos receios com a estabilidade fiscal da Espanha, o que pesou sobre os futuros em Wall Street. Às 10h39 (de Brasília), O Dow Jones cedia 0,40%, o Nasdaq caía 0,37% e o S&P 500 recuava 0,35%.

O Departamento do Comércio dos EUA informou que o número de obras residenciais iniciadas no país caiu 10% em maio, na comparação com abril, enquanto as permissões para novas obras diminuíram 5,9%. Os dados foram piores do que as estimativas dos analistas, de queda de 5,2% no número de obras iniciadas e de alta de 3,3% nas permissões.

Os números sobre inflação vieram um pouco melhores. O índice de preços ao produtor (PPI) norte-americano caiu 0,3% em termos sazonalmente ajustados em maio, em comparação a abril, segundo o Departamento do Trabalho. Excluindo os preços de energia e alimentos, o núcleo do PPI subiu 0,2% em maio, depois de alta de 0,2% em abril. Economistas esperavam queda de 0,5% do PPI em maio e alta de 0,1% do núcleo. Já o Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) anunciou que a produção industrial nos EUA subiu 1,2% em maio, acima da previsão de alta de 1%.

O balanço trimestral da empresa de entregas FedEx também pesou sobre Wall Street. No trimestre encerrado em 31 de maio, o lucro da FedEx subiu para US$ 419 milhões (US$ 1,33 por ação), em comparação com o prejuízo de US$ 876 milhões (US$ 2,82 por ação) registrado no mesmo período do ano passado. A receita da FedEx também cresceu e atingiu US$ 9,42 bilhões, de US$ 9,04 bilhões um ano antes.

No entanto, a FedEx fez projeções para o atual ano fiscal mais fracas do que as expectativas do mercado. A companhia disse que prevê ganhos de US$ 4,50 a US$ 5,00 por ação, abaixo da média das estimativas, de US$ 5,05 por ação. A FedEx também afirmou esperar lucro de US$ 0,85 por ação a US$ 1,05 por ação no primeiro trimestre do atual ano fiscal. Os analistas previam US$ 1,03 por ação.

Enquanto isso na Europa, o jornal El Cronista afirmou que o Fundo Monetário Internacional (FMI), a União Europeia e o Tesouro dos EUA estão preparando uma linha de liquidez de 250 bilhões de euros (US$ 306,9 bilhões) para a Espanha. O governo do país confirmou que o diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, vai visitar o primeiro-ministro espanhol, José Luís Rodriguez Zapatero, na sexta-feira, mas negou que a reunião tenha alguma relação com um potencial plano de liquidez para a Espanha. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host