UOL Notícias Notícias
 
16/06/2010 - 14h58 / Atualizada 16/06/2010 - 15h07

Wikipédia publica falsa notícia de morte de atriz global

São Paulo - Uma informação falsa que noticiava a suposta morte da atriz Drica Moraes foi publicada hoje na página da Wikipédia (www.wikipedia.org.br), enciclopédia livre na internet, provocando susto e preocupação em assessores e pessoas próximas a ela. A falsa notícia foi postada na manhã de hoje por um usuário anônimo, sem cadastro na Wikipédia, e corrigida aproximadamente 15 minutos depois por um outro colaborador, que alertou para a falsidade do relato.

Drica Moraes, que está com leucemia, foi internada ontem no Hospital Israelita Albert Einstein, no Morumbi, zona sul de São Paulo, para começar uma nova fase do tratamento contra a doença. De acordo com a assessoria da atriz, ela passa bem e não soube do incidente até a manhã de hoje.

A postagem com a falsa informação, incluída indevidamente na Wikipédia, no verbete sobre Drica Moraes, dizia, literalmente: "No dia 16 de junho a leucemia se agravou e foi internada em estado grave no hospital Albert Einstein, às 22 horas foi constatada sua morte. Muitos fãs fazem homenagens para a atriz, tanto em frente ao hospital quanto em sua casa."

Após a falsa notícia, um outro usuário do site colaborativo alterou a informação errada e escreveu, no relatório: "Dia 16 é hoje e são 10 da manhã. Como ela pode ter morrido às 22?" Um outro colaborador também questionou, em seguida: "Não há notícia de morte, fontes são fundamentais." Na Cia. dos Atores, grupo de teatro fundado por Drica Moraes e outros artistas no Rio de Janeiro, ninguém sabia do incidente na manhã de hoje.

Na Rede Globo de Televisão, emissora em que trabalha a atriz, a assessoria também demonstrou surpresa ao saber da divulgação da falsa notícia. Até as 13h30 desta tarde, a assessoria pessoal da atriz, a Rede Globo e a Cia. de Atores não informaram se tomariam providências judiciais. Até esse horário também, a assessoria da Wikipédia também não havia respondido aos telefonemas da reportagem.

Direito

Divulgação de informações falsas por portais colaborativos não são incomuns. Segundo o advogado e economista Renato Opice Blum, sócio do Opice Blum Advogados Associados e especialista em Direito Eletrônico, esses casos aumentam conforme a internet se populariza. "Infelizmente, quanto mais se usa internet, esse lado ruim aumenta, especialmente quanto à difamação", afirmou Blum, que é coordenador do curso de Master of Business Administration (MBA) em Direito Eletrônico da Escola Paulista de Direito (EPD).

De acordo com ele, no entanto, a Justiça brasileira é a "mais rápida do mundo", quando se tem o IP do autor da difamação. "Os tribunais brasileiros dão ordens judiciais em 24 horas para identificação de IP; para isso, temos de tirar o chapéu", afirmou. O advogado disse que, na Justiça do Brasil, há mais de 20 mil decisões em casos semelhantes, já transitadas em julgado. Segundo Blum, nesses casos, cabe uma ação de responsabilidade civil contra o autor da postagem, por prejuízos morais e também um processo criminal por difamação e exposição indevida a uma mentira.

Para o advogado, no episódio que envolveu o nome de Drica Moraes, a Wikipédia não pode ser responsabilizada, pois foi tomada a providência de se retirar a falsa informação cerca de 15 minutos depois, mesmo que essa ação tenha sido feita por um outro colaborador do site. "Corresponsabilidade só acontece quando se tem a ciência que alguém foi lá e fez ato ilícito e o site não tomou nenhuma atitude, o que não é o caso."

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h39

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    16h49

    -0,63
    75.522,54
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host