UOL Notícias Notícias
 
17/06/2010 - 19h12 / Atualizada 17/06/2010 - 19h26

Bolsas de NY viram no final do pregão e fecham em alta

Nova York - Os principais índices do mercado de ações dos EUA fecharam em alta, ganhando força nos últimos minutos do pregão após passarem grande parte da sessão em território negativo por conta da divulgação de indicadores fracos sobre a economia dos EUA. Analistas afirmaram que os mercados encontraram suporte em um leilão relativamente bem-sucedido de bônus da Espanha ocorrido mais cedo, que teria diminuído os receios com a crise fiscal na Europa e com a possibilidade de o governo espanhol ser obrigado a recorrer ao Fundo Monetário Internacional (FMI).

Pela manhã, o Departamento de Trabalho dos EUA anunciou que o número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego subiu 12 mil na semana passada, enquanto economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam queda de 6 mil. Além disso, o índice de atividade industrial do Federal Reserve da Filadélfia caiu para 8 em junho, de 21,4 em maio - muito abaixo da previsão dos economistas, que era de 21 -, enquanto o índice dos indicadores antecedentes do Conference Board subiu menos do que o esperado no mês passado, após ficar estável em abril.

"Os dados definitivamente foram decepcionantes. Provavelmente eles nos preparam para um relatório mais fraco sobre os empregos daqui a duas semanas", afirmou Michael Church, presidente da Addison Capital. Ele acrescentou que o declínio das bolsas foi limitado por conta do leilão de bônus da Espanha. "Esse mercado está fixado (na zona do euro), então no momento em que surge qualquer boa notícia ela ofusca os dados econômicos dos EUA. Se continuarmos a ter estabilidade na zona do euro, acredito que isso dará um viés positivo ao mercado."

O Dow Jones subiu 24,71 pontos, ou 0,24%, para 10.434,17 pontos - maior nível de fechamento desde 19 de maio. A Travelers teve o melhor desempenho dentre os componentes do índice, avançando 1,73%, seguida por General Electric (+1,02%) e Procter & Gamble (+0,93%). Alcoa teve o declínio mais acentuado, de 2,02%.

O Nasdaq ganhou 1,23 ponto, ou 0,05%, para 2.307,16 pontos - sexto fechamento consecutivo em território positivo. O S&P 500 avançou 1,43 ponto, ou 0,13%, para 1.116,04 pontos. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host