UOL Notícias Notícias
 
18/06/2010 - 10h15 / Atualizada 18/06/2010 - 11h14

Bovespa oscila e cai com receio sobre recuperação

São Paulo - Em dia de noticiário morno, os investidores devem continuar embolsando lucros na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), usando como pretexto a preocupação quanto à sustentabilidade da recuperação da economia global na esteira dos indicadores fracos divulgados ontem nos Estados Unidos. O vencimento quádruplo em Nova York hoje e o vencimento de opções sobre ações na Bovespa segunda-feira tendem a acirrar a volatilidade no mercado acionário. O índice Bovespa (Ibovespa) oscilou na abertura e, às 10h12, caía 0,10%, aos 64.476 pontos.

Os investidores amanheceram com o sentimento mais negativo em relação ao comportamento futuro da economia, o que levanta novamente dúvidas quanto à demanda por commodities. Os metais básicos são negociados em baixa em Londres, influenciados pelas perdas no mercado de ações chinês e pela fraca demanda da China. O petróleo recuava mais de 1% em Nova York. Com a queda de ontem da Bovespa, de 0,32%, e das blue chips, e a sinalização de continuidade do ajuste negativo hoje, as opções de Petrobras PN a R$ 30 e as de Vale PN a R$ 42,00, que poderiam gerar maior disputa no vencimento de segunda-feira, "morreram", segundo uma fonte.

A aceitação pela siderúrgica Baosteel Group, representante da China nas negociações sobre os contratos de minério de ferro com as maiores mineradoras globais, de um aumento de 23% no preço da matéria-prima para o terceiro trimestre deste ano, não deve provocar ajustes nas ações da Vale. De acordo com analista, já está precificado um reajuste da ordem de 30% a 35% para o minério da Vale. Segunda maior siderúrgica da China, a Baosteel teria aceitado o valor de US$ 147 por tonelada, excluindo frete, para o período entre julho e setembro oferecido pelas mineradoras anglo-australianas BHP Billiton e Rio Tinto.

No caso de Petrobras, os investidores estão de olho hoje na apresentação pela estatal ao Conselho de Administração do seu de plano de investimentos para o período entre 2010-2014 em reunião em São Paulo, das 10 às 15 horas. Se aprovado, o plano só deverá ser divulgado em nota à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) após o fechamento do mercado. Na Europa, o destaque do dia a visita do diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, à Espanha, para a reunião com o primeiro ministro Rodríguez Zapatero, após o bem-sucedido leilão de bônus espanhóis ontem, que elevou a confiança, afastando rumores de um pacote de ajuda financeira.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host