UOL Notícias Notícias
 
21/06/2010 - 13h40 / Atualizada 21/06/2010 - 14h15

Ações relacionadas a commodities lideram alta em NY

Nova York - Os preços das ações de companhias do setor de matérias-primas (commodities), especialmente aquelas mais atreladas à economia global, subiram forte em Nova York com o anúncio da China sobre planos para permitir maior flexibilidade na taxa de câmbio de sua moeda. Para o mercado, a nova política monetária chinesa compensa temores de que eventuais medidas de aperto monetário reduziriam a demanda.

O setor de matérias-primas foi, de longe, o de melhor desempenho no índice S&P 500, com companhias de alumínio, aço, mineração e outras se beneficiando da notícia. Se o yuan chinês puder mesmo apreciar, embora gradualmente, poderia aumentar o poder de compra do país. Este raciocínio permitiu aos mercados globais darem um sinal de alívio, especialmente porque as preocupações com adoção de medidas de aperto monetário da China tiveram um forte peso nas ações do setor de matérias-primas nos últimos meses.

Analistas do Credit Suisse afirmam que a última vez em que a China anunciou uma medida de apreciação de sua moeda, o setor de metais e mineração teve um desempenho 31% melhor que o do mercado geral durante os seis meses subsequentes.

Às 13h32 (de Brasília), o índice S&P 500 subia 0,42% e o Dow Jones ganhava 0,57%.

A gigante de alumínio Alcoa teve o maior ganho na S&P 500 esta manhã, subindo 7,1%, para US$ 11,90, e a concorrente menor, Century Aluminum, disparou 10%, para US$ 11,08. A gigante chinesa Aluminum Corp. of China (Chinalco) viu seus ADRs subirem 6,6%, para US$ 21,29. As siderúrgicas foram a segunda categoria a exibir maior alta em Nova York, com a United States Steel e a AK Steel Holding ganhando 6,1%, a US$ 46,02, e 5,5%, para US$ 14,66, respectivamente.

Outros metais especiais também subiram, como a Titanium Metals (+4,9%) e a Allegheny Technologies (+4,7%). Analistas da Dahlman Rose afirmam que uma eventual apreciação do yuan também seria vista como positiva para o livre comércio global e as grandes mineradoras diversificadas que fazem grandes exportações para a China de ferro e outros recursos.

Entre as mineradoras dos Estados Unidos, a Cliffs Natural Resources e a Freeport-McMoran Copper & Gold subiram 5,6% e 5,8%, respectivamente. Os ADRs das gigantes globais BHP Billiton e Rio Tinto ganharam 4,2% cada. As companhias que fabricam equipamentos de mineração também subiram, com a Caterpillar em alta de 2,6% e a Joy Global e Bucyrus International subindo 4,8% e 4,4%, respectivamente.

Frente à alta do mercado, alguns analistas advertiram cautela em lidar com o comunicado da China, que consideram ambíguo. O Credit Suisse afirmou que "a apreciação ajuda a elevar o poder de compra de bens de importação, mas a demanda por commodities e maquinário será determinada mais pelas atividades econômicas do que pelo poder de compra".

E outras, incluindo a Roth Capital e a JPMorgan, alertam que o anúncio poderia ser mais uma manobra política, devido ao encontro do G-20 que ocorrerá no fim de semana, tendo pouco efeito prático nas ações . "O comunicado enfatizou que 'não há fundamento de sustentação de uma volatilidade significativa na taxa spot (spot rate)', o que sugere que qualquer movimento seria menor", conclui a JPMorgan. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host