UOL Notícias Notícias
 
25/06/2010 - 17h04 / Atualizada 25/06/2010 - 17h47

Com poucos negócios, dólar cai 0,56% para R$ 1,779

São Paulo - A sessão reduzida por conta do jogo do Brasil contra Portugal, que interrompeu o pregão do dólar à vista das 10h30 às 14h30, quase que zerou a liquidez dos negócios porque à tarde, na volta das operações, o fato de se tratar de uma sexta-feira e de ser véspera de encontro do G-20 em Toronto não estimulou muitas transações. A tendência de queda da moeda americana ante o real, entretanto, se manteve na sessão de hoje, seja pela manutenção da expectativa de fluxo de recursos estrangeiros ao País, seja pela disputa já iniciada entre comprados e vendidos para a formação da ptax no final do mês - e os bancos estão com forte "posição vendida" em dólar (aposta na valorização do real). É bom lembrar que na segunda-feira há novo jogo do Brasil na Copa e o pregão será encerrado mais cedo.

O dólar à vista negociado na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) fechou hoje a R$ 1,778, queda de 0,56%. No mercado interbancário de câmbio a moeda também recuou 0,56%, a R$ 1,779, depois de oscilar entre a máxima de R$ 1,784 e a mínima de R$ 1,776. Na semana, o dólar variou pouco, alta de 0,39%; no mês, o dólar acumula baixa de 2,25% e no ano, alta de 2,07%. O euro comercial fechou o dia em baixa de 0,18% a R$ 2,202.

Nos Estados Unidos, a leitura final do PIB do primeiro trimestre, com alta anualizada de 2,7%, decepcionou ao ficar abaixo dos 3% esperados. Já o índice de sentimento do consumidor Reuters/Universidade de Michigan final de junho subiu para 76 - maior pontuação desde janeiro de 2008 - superior ao nível de 73,6 em maio e acima dos 75,5 esperados pelos economistas.

Ainda nos EUA, os legisladores chegaram a um acordo nas primeiras horas desta sexta-feira sobre o projeto de lei que vai redefinir as empresas e os mercados financeiros e norte-americanos, garantindo para o governo de Barack Obama sua segunda vitória na política doméstica neste ano. Para os operadores, a notícia da regulação bancária e o indicador do sentimento do consumidor praticamente compensaram o PIB abaixo do previsto. Para alguns profissionais, no entanto, a reação aos indicadores só deve acontecer, de verdade, na segunda-feira.

Mesmo em sessão reduzida, o Banco Central brasileiro manteve o leilão diário de compra de dólar no mercado à vista. A taxa de corte das propostas hoje foi de R$ R$ 1,7782.

No câmbio turismo, o dólar cedeu 0,37% hoje para R$ 1,893 (venda) e R$ 1,727 (compra). O euro turismo foi negociado em média a R$ 2,32 (venda) e R$ 2,13 (compra).

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host