UOL Notícias Notícias
 
02/07/2010 - 15h20 / Atualizada 02/07/2010 - 15h33

Bolsas europeias fecham em alta, mas Frankfurt recua

Londres - As bolsas europeias fecharam o dia em alta, sustentadas pela recuperação das ações dos setores automotivo e de mineração. A exceção foi a Bolsa de Frankfurt, que fechou o dia em baixa. No fim do pregão, os índices devolveram parte dos ganhos, em meio a dados mistos sobre o mercado de trabalho dos Estados Unidos. Os investidores destacaram, no entanto, que o volume de negociação foi fraco.

O índice pan-europeu Stoxx 600 recuou 0,1%, para 237,20. Na semana, o índice acumulou baixa de 4,5%. O índice encerrou a semana com declínio de 4,5%. Em Londres, o índice FTSE-100 avançou 0,67%, para 4.838,09 pontos. O índice encerrou a semana em queda de 4,12%. Já o índice CAC-40, da Bolsa de Paris, subiu 0,25%, para 3.348,37 pontos, encerrando a semana em queda de 4,86%. O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, recuou 0,40%, para 5.834,15 pontos, acompanhando as quedas das bolsas nos EUA. O índice encerrou a semana em queda de 3,89%. Em Madri, o índice IBEX 35 avançou 0,79%, para 9.250,80 pontos, encerrando a semana em queda de 2,98%.

Os dados de emprego nos EUA, divulgados hoje, mostraram um corte de 125 mil postos de trabalho em junho no país. Os economistas esperavam corte de 110 mil vagas em junho. Já a taxa de desemprego ofereceu uma surpresa positiva, apresentando queda para 9,5% em junho, de 9,7% em maio. Na Europa, o número de trabalhadores desempregados nos 16 de países da zona do euro aumentou em maio, mas a taxa de desemprego ficou estável em 10% pelo terceiro mês seguido.

"Houve uma mudança de humor nos últimos dias, o que trouxe de volta a incerteza no mercado", disse um analista do LBBW. As montadoras se recuperam um pouco de algumas perdas acentuadas da sessão anterior. As ações da Renault subiram 2,06%. A Nissan, na qual a montadora francesa detém participação de 44%, reportou um aumento de 10,8% das suas vendas nos Estados Unidos em junho. A montadora BMW não conseguir manter os ganhos do início da sessão, que refletiram um crescimento de 11,9% de suas vendas nos EUA em junho. Os papéis da companhia recuaram 0,82%. Já as ações do Santander avançaram 0,79%, enquanto as do Barclays subiram 4,5%.

As ações das mineradoras, sensíveis às tendências econômicas, subiram com os aumentos dos preços dos contratos futuros do cobre e com o acordo fechado entre o governo australiano e as mineradoras sobre um imposto que será aplicado sobre o setor. Xstrata avançou 2,99% e BHP Billiton teve alta de 1,68%. As ações da Dana Petroleum subiram 22,3%, após o jornal "Financial Times" reportar que a companhia sul-coreana KNOC está estudando fazer uma oferta de 1,5 bilhão de libras (US$ 2,27 bilhões) pela empresa britânica.

Os papéis da British Petroleum (BP) recuaram 1,8%. A participação de 60% que a empresa estuda vender no empreendimento argentino Pan American pode chegar a US$ 9 bilhões, afirmou o "Financial Times", citando banqueiros, analistas e executivos do setor. No setor farmacêutico, as ações da Sanofi-Aventis caíram 2,41%. A agência de notícias Bloomberg afirmou que a companhia está estudando uma grande aquisição nos EUA, que poderia custar até US$ 20 bilhões. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host