UOL Notícias Notícias
 
14/07/2010 - 14h37

Bolsas europeias fecham em direções divergentes

Londres - As principais bolsas europeias fecharam em direções divergentes, com os participantes do mercado aguardando a divulgação de dados econômicos e de balanços corporativos, entre eles o do banco JPMorgan. O sentimento também refletiu as perdas registradas pelas das ações das mineradoras e das montadoras neutralizando os ganhos do setor de tecnologia, que foram impulsionados pela divulgação do balanço da norte-americana Intel. Depois de se mover para uma máxima de 257,03 pontos no início da sessão, o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou praticamente estável, recuando somente 0,03%, para 255,92 pontos.

"O período de seis altas consecutivas já é bastante longo em um contexto histórico, por isso os investidores tendem a procurar uma desculpa para realizar alguns lucros", afirmou Ad van Tiggelen, estrategista do ING Investment Management. "Os investidores usaram como desculpa hoje os dados decepcionantes da produção industrial europeia, que cresceu 0,9% em maio, ante previsão de 1,3%, e dos pedidos de novas hipotecas para compra de imóveis nos Estados Unidos, que recuaram 3,1%", acrescentou o analista.

O índice FTSE-100, da Bolsa de Londres caiu 0,33%, para 5.253,52 pontos, afetada pelos dados das vendas no varejo dos Estados Unidos, que recuaram 0,5% em junho, pior que a projeção dos analistas, que esperavam um declínio de 0,3%. Como resultado, as ações do Burberry Group caíram 2,99% e as da Marks & Spencer declinaram 1,27%. A British Petroleum (BP) perdeu 2,28%, depois de ter adiado o teste de pressão da nova tampa colocada sobre o poço no Golfo do México. Entre as mineradoras, Xstrata registrou declínio de 1,31%. As ações da London Stock Exchange subiram 3,6%, após a empresa reportar um aumento de 1% na receita no primeiro trimestre e reportar um melhora de sua participação na negociação de ações de empresas britânicas em junho, depois de ter reduzido as taxas de transação.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX avançou 0,30%, para 6.209,76 pontos. Merck registrou um dos melhores desempenhos da sessão, subindo 2,83%, após superar o nível técnico em 200 dias. A fabricante de carros de luxo BMW perdeu 1,39%, enquanto a Infineon Technology subiu 2,43%, refletindo os bons resultados divulgados pela Intel e pela empresa holandesa de chips ASML. O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, caiu 0,13%, para 3.632,98 pontos, mas encerrou acima das mínimas do dia com um volume de negociação muito fraco, em razão do feriado do Dia da Bastilha. As ações do setor financeiro recuaram, afetadas pela realização de lucros e preocupações sobre os problemas do setor bancário espanhol. Société Generale perdeu 2,18% e Renault cedeu 0,57%.

Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 ganhou 0,19%, para 10.278,50 pontos. BBVA fechou estável e o Santander caiu 0,15%, após a S&P dizer que rebaixará o rating dos bancos se rebaixar o rating da dívida soberana da Espanha. As ações do Banesto, que divulgou seus resultados no início do dia, subiram 1,39%. Ibéria aumentou 0,62%, depois que o regulador antitruste da União Europeia aprovou a fusão da British Airways (BA) com a companhia aérea espanhola. A construtora Sacyr Vallehermoso teve o melhor desempenho da sessão, subindo 4,94%. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 encerrou com baixa de 0,69%, em 7.262,18 pontos. Banco Espírito Santo caiu 1,41% e Portugal Telecom recuou 0,97%. As informações são da Dow Jones.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host