UOL Notícias Notícias
 
20/07/2010 - 19h19

Decretada prisão de acusados de matar coronel em SP

São Paulo - A Justiça de São Paulo decretou a prisão preventiva dos policiais militares Pascoal dos Santos Lima e Lelces André Pires, acusados de matar o coronel José Hermínio Rodrigues, em 2008. A denúncia foi oferecida pelo Ministério Público à Justiça em 30 de junho. Rodrigues foi morto a tiros na manhã de 16 de janeiro de 2008, quando, de férias, passeava de bicicleta pela Avenida Engenheiro Caetano Álvares, no Mandaqui, Zona Norte de São Paulo. Os policiais já estavam presos apenas administrativamente.

Os dois policiais foram denunciados pelo promotor de Justiça Militar Waldevino de Oliveira por homicídio duplamente qualificado (por motivo torpe e com surpresa da vítima) e por violação de dever inerente ao cargo, crime previsto no Código Penal Militar.

As investigações da polícia identificaram o soldado Pascoal e o 2º sargento Lelces como autores da morte. Segundo a polícia, os dois PMs planejaram assassinar o coronel José Hermínio Rodrigues por vingança. Eles estavam insatisfeitos porque o coronel havia determinado, em 2007, a transferência de ambos do 18º Batalhão. Eles imaginavam que, depois da morte do coronel, conseguiriam retornar para a área do 18º Batalhão com a interferência do pai do sargento Lelces, que é coronel da reserva. Exame pericial comprovou que a arma utilizada em um homicídio ocorrido em junho de 2007 foi a mesma de onde saíram os tiros que mataram o comandante. A arma pertencia ao soldado Pascoal.

O juiz Marcos Fernando Theodoro Pinheiro também marcou para 26 de julho o interrogatório dos réus. No dia 30 serão ouvidas nove testemunhas do caso, e no dia 13 de agosto, outras oito.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host