UOL Notícias Notícias
 
23/07/2010 - 10h41

Bolsas de NY abrem em queda de olho na Europa

Nova York - As bolsas nova-iorquinas abriram em queda nesta sexta-feira. Os investidores provavelmente não vão abandonar a cautela até ver quem realmente vai falhar e quem vai passar nos testes de estresse de 91 bancos europeus, cujos resultados devem sair às 13h (de Brasília). Às 10h35 (de Brasília), O Dow Jones perdia 0,32%, o Nasdaq caía 0,52% e o S&P 500 cedia 0,41%.

Até a publicação dos resultados dos testes, os investidores vão digerir mais alguns balanços nos EUA. Os da Microsoft, Ford e Honeywell bateram as estimativas. Os da Amazon decepcionaram tanto que as ações chegaram a derreter mais de 12% no pré-mercado. Ontem, as bolsas fecharam em alta graças a balanços e indicadores positivos: Dow Jones +1,99%, Nasdaq +2,68% e S&P +2,25%.

Na Europa, as bolsas operam em direções divergentes, com ações de vários bancos que estão nos testes de estresse operando em baixa. Dados divulgados esta manhã naquele continente, no entanto, dão motivo para um leve otimismo. A confiança do empresariado alemão teve em julho o maior avanço em 20 anos e no Reino Unido, o PIB do segundo trimestre cresceu no ritmo mais rápido em mais de quatro anos: +1,1% ante o primeiro trimestre e 1,6% ante o segundo trimestre de 2009. É a terceira alta do PIB trimestral consecutiva.

Em relação aos testes de estresse, muito já se disse e se especulou sobre os resultados. Os mercados esperam que um número pequeno de bancos seja reprovado, dentro de um universo de 91 bancos de 20 países, e querem saber, nos mínimos detalhes, como os testes foram feitos e qual é a situação de cada instituição. Vai ser bom saber também quais bancos possuem bônus de quais países, afinal a região continua se debatendo com o problema da dívida soberana.

Um número pequeno de bancos significa algo entre uma ou duas dezenas. Nos EUA, em maio do ano passado, quando os testes foram feitos, dez de 19 instituições foram detectadas com necessidade de levantar mais capital para se blindar em tempos de crise, o mercado recebeu muitos detalhes e aquela fase de pânico pós-Lehman Brothers foi superada. Ruim mesmo será se todos os bancos passarem no teste, o que colocaria por terra a credibilidade da avaliação, segundo analistas consultados pela Agência Estado.

Nos últimos dias, analistas apontaram o dedo para as instituições que podem não passar nos testes: algumas cajas espanholas, landesbanks alemães e bancos gregos. Entre os nomes que foram citados nos últimos dias com chance de aparecerem na lista dos reprovados estão National Bank of Greece, Hypo, Piraeus Bank, Banco Popolare, Intesa Sanpaolo, Société Générale, Deutsche Postbank, EFG, Marfin and Alpha Bank, BPI, Monte Dei Paschi Di Siena, Bank of Ireland, Allied Irish e Bank Inter Portugal.

Ontem, a Amazon informou ganhos no segundo trimestre de US$ 0,45 por ação, bem abaixo dos US$ 0,53 por ação estimados por analistas. A Microsoft informou que obteve lucro por ação de US$ 0,51, acima da estimativa de lucro de US$ 46 por ação.

A Ford teve lucro de US$ 0,61 por ação no segundo trimestre, bem acima da expectativa de lucro de US$ 0,40 por ação. Honeywell informou lucro de US$ 0,60 por ação, acima da estimativa de US$ 0,57 por ação. A gigante de fast food McDonald's teve lucro de US$ 1,13 por ação ante estimativa de lucro de US$ 1,12 por ação.

A Apple disse que não deve colocar nas lojas os iPhones brancos, pelo menos até o final do ano, afirmando que a produção do modelo se mostrou mais desafiadora do que se imaginava originalmente.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host