UOL Notícias Notícias
 
27/07/2010 - 17h38

Bovespa registra sétima alta seguida e testa os 67 mil

São Paulo - O Ibovespa registrou hoje sua sétima alta consecutiva, com valorização modesta. Em Nova York, depois de um início positivo, o dia foi marcado pelo desânimo e os índices de ações fecharam em direções mistas - o Nasdaq e o S&P500 caíram, enquanto o Dow Jones apurou pequena alta.

No início dos negócios, o Ibovespa acompanhou a tendência de alta das bolsas norte-americanas, que refletiram os bons balanços corporativos divulgados logo cedo, entre eles os dos bancos europeus UBS e o Deutsche Bank, e os aumentos de índices de preços de residências nos EUA. Mas quando Nova York sucumbiu aos indicadores mais fracos de atividade regional e à diminuição da confiança do consumidor em julho, a Bovespa apenas reduziu os ganhos, mantendo-se em alta.

O Ibovespa fechou com valorização de 0,35%, aos 66.674,44 pontos. Ao longo da sessão, a mínima do índice foi aos 66.293,03 pontos, em queda de 0,23%, e a máxima foi verificada aos 67.102,17 pontos, em alta de 0,99% - desde 3 de maio a Bolsa não transitava na faixa dos 67 mil pontos. No mês, o índice acumula alta de 9,42% e no ano a perda foi reduzida para 2,79%. O giro financeiro somou R$ 5,049 bilhões. Os dados são preliminares.

Como ontem, as ações da Vale foram hoje alvo de realização de lucro, após apurarem ganho na casa de 12% na semana passada. O papel ON caiu 0,39%, para R$ 48,00; o PNA cedeu 0,36%, para R$ 41,95 e teve o maior giro financeiro do Ibovespa (R$ 574,407 milhões.)

As influências negativas dessas ações sobre o Ibovespa foram, porém, minimizadas por desempenhos positivos de Petrobras e Usiminas, entre outros papéis. A ação PN da Petrobras fechou em alta de 0,29%, cotada por R$ 27,98 - o papel girou o segundo maior volume do Ibovespa (R$ 290,364 milhões). Petrobras ON, menos negociada, cedeu 0,41%, para R$ 31,80. Já as ações ON da Usiminas valorizaram-se acima de 1%: ON, +1,42% e PNA, 1,01%.

Em Nova York, as bolsas cederam em meio à divulgação de três indicadores ruins: o índice de atividade industrial do Meio-Oeste, elaborado pelo Fed de Chicago, recuou 0,5% em junho em relação ao mês anterior, para 79,4; a confiança do consumidor norte-americano diminuiu novamente em julho, de acordo com pesquisa do Conference Board, para 50,4 ante um número revisado de 54,3 em junho; e o índice sobre atividade no setor de manufatura na região de Richmond caiu de 23 em junho para 16 em julho.

Diante desses indicadores, foram minimizadas as altas do índice de preços de residências medido pela S&P/Case Shiller: em 20 cidades dos EUA o indicador subiu 1,3% em maio, em comparação com abril, enquanto o índice em 10 cidades aumentou 1,2%.

O Dow Jones fechou em alta de 0,12%, aos 10.537,69 pontos; o Nasdaq encerrou em queda de 0,36%, aos 2.288,25 pontos; e o S&P500 perdeu 0,10%, aos 1.113,84 pontos. Os dados são preliminares.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host