UOL Notícias Notícias
 
04/08/2010 - 17h43

Bolsa sobe 0,40% puxada por bolsas de NY e Petrobras

São Paulo - O Ibovespa retomou o sinal positivo hoje, após a queda da véspera. À influência positiva das bolsas de Nova York somou-se o bom desempenho das ações da Petrobras, com valorizações em torno de 1%. Mesmo depois do ganho de 10,80% em julho, a Bolsa resiste a fortes realizações de lucro - o movimento de venda de ações hoje, como ontem, foi localizado, afetando sobretudo papéis de bancos e construtoras que vêm de altas recentes expressivas.

Os índices acionários norte-americanos subiram influenciados pelo anúncio de dois dados positivos relativos a julho: criação de um número de vagas acima das expectativas no setor privado e alta no índice de atividade do setor não industrial. O bom dado sobre emprego teve força para dar ânimo às bolsas norte-americanas porque reduziu as preocupações dos investidores quanto à capacidade da economia norte-americana de gerar empregos. Com isso, tornou otimistas expectativas para o payroll, que será divulgado na sexta-feira. O dado divulgado hoje é considerado pelo mercado como um antecedente do payroll, índice elaborado pelo Departamento de Trabalho dos EUA que abrange também os números sobre o emprego no setor público.

O Ibovespa fechou em alta de 0,40%, aos 68.272 pontos. Durante a sessão, registrou a mínima de 67.577,40 pontos, em queda de 0,62%, e a máxima de 68.534,20 pontos, em alta de 0,79%. No mês, acumula valorização de 1,12% e no ano a perda está em 0,46%. O giro financeiro foi de R$ 6,132 bilhões. Os dados são preliminares.

As ações da Petrobras fecharam em alta superior à do Ibovespa, apesar do recuo do preço do petróleo (-0,10%, para US$ 82,47, na Nymex). O papel ON subiu 1,19%, para R$ 33,90, e o PN, 0,89%, para R$ 29,34. Para Fausto Gouveia, economista da Legan Asset Management, a possibilidade de que a capitalização da estatal seja adiada para 2011 permite um "respiro" neste momento aos papéis da companhia. "A capitalização vai aumentar em muito a oferta de papéis da Petrobras, o que tende a reduzir a cotação num primeiro momento", ele diz. Na semana, a ON já subiu 6,47% e a PN 6,11%.

Já as ações da Vale fecharam na contramão do índice, em parte, afetadas pelas declarações do vice-presidente da Associação de Ferro e Aço da China (Cisa, na sigla em inglês), Luo Bingsheng, de que a tendência de queda nas importações de minério de ferro pela China continuará no terceiro trimestre, devido principalmente ao aumento da produção doméstica. Vale ON caiu 0,08%, para R$ 50,43, e Vale PNA cedeu 0,27%, para R$ 43,94.

Entre as construtoras, Gafisa, que ontem apresentou seus resultados no segundo trimestre após o fechamento do mercado, teve queda de 1,60% em seu papel ON, a quarta maior baixa do Ibovespa. A ação ON da Cyrela, que divulga amanhã seu balanço, também caiu: a queda de 1,40% foi a oitava maior do índice. Empresas do setor de construção tiveram altas expressivas recentemente, o que as deixa mais vulneráveis a movimentos de realização de lucro.

Ações de bancos também foram alvo de vendas com objetivo de embolsar lucros. Itaú Unibanco PN, terceira maior queda do Ibovespa, cedeu 1,71%; Bradesco PN caiu 0,69%; e BB ON, -1,01%.

Em Nova York, o Dow Jones subiu 0,41%, para 10.680,43 pontos; o Nasdaq fechou em alta de 0,88%, aos 2.303,57 pontos; e o S&P500 ganhou 0,60%, aos 1.127,23 pontos. Os dados são preliminares.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h09

    0,90
    3,156
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h17

    -1,07
    74.584,74
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host